assinante_desktop_cabecalho
assinante_desktop_menu_principal

Gilmar xinga e ofende, Deltan o processa e o “cidadão brasileiro” paga pelos danos morais

Ler na área do assinante

O ministro Gilmar Mendes desferiu reiteradas ofensas contra o procurador Deltan Dallagnol.

Em entrevista concedida ao programa Timeline Gaúcha, o juiz define a força-tarefa coordenada pelo autor como verdadeira “organização criminosa”, formada por “gente muito baixa, muito desqualificada” que buscava lucrar com as investigações, com expressa menção ao nome de Dallagnol;
Durante a sessão de julgamento no STF do 4º Agravo Regimental no Inquérito n.º 4435-DF, o ministro Gilmar Mendes chama os integrantes da força-trefa de “cretinos”, “gentalha”, “desqualificada”, “despreparada”, “covardes”, “gângster”, “organização criminosa”, “voluptuosos”, “voluntaristas”, “espúrios”, “infelizes”, “reles”, “patifaria” e até “vendilhões do templo”;
Durante sessão de julgamento do Habeas Corpus n.º 166373, o ministro Gilmar Mendes acusa os procuradores da força-tarefa da Lava Jato de praticarem crimes, dentre os quais o de tortura, com expressa menção ao nome de Dallagnol;
Em entrevista concedida ao portal UOL, o ministro Gilmar Mendes sugere que Dallagnol e outros dirijam-se à sociedade como “crápulas” e afirma que houve corrupção.

Deltan ingressou com ação indenizatória por danos morais.

A Justiça, como não poderia ser diferente, deu razão ao procurador.

Assim, Deltan deverá ser indenizado pecuniariamente pelas agressões sofridas.

Entretanto, o pagamento do valor arbitrado na condenação será feito pela União.

Noutras palavras, o povo irá pagar pelos insultos de Gilmar.

Um absurdo.

Fonte: G1

da Redação
assinante_desktop_conteudo_rodape

Comentários