assinante_desktop_cabecalho
assinante_desktop_menu_principal

Quer saber porque a "pandemia" não acaba? Olha o motivo!

Ler na área do assinante

Na minha cidade, Poços de Caldas-MG, estamos em "isolamento" há meses. O turismo, nossa principal fonte de renda, está absolutamente proibido. Barreiras sanitárias foram instaladas nas entradas principais e todas as estradas vicinais foram bloqueadas com placas de concreto e montes de terra.

Veículos com placas de outras cidades, ou com as novas placas do Mercosul (como no meu caso), são obrigados a usar um "selo" para transitar no município. Caso contrário, se flagrados, são multados pelos agentes de trânsito.

Não sei de onde veio a inspiração, mas me lembrou bastante um método de "identificação" usado na década de 30, na Alemanha, quando "selecionavam" os cidadãos com a marca de uma estrela nas roupas.

Conseguimos, desta forma, atingir o topo do ranking das cidades mais economicamente afetadas do Sul de Minas. Mais de uma centena de negócios falidos e quase 4.000 desempregados.

Em NENHUM momento tivemos 50% dos leitos de UTI exclusivos para o Covid ocupados.

A maioria absoluta dos casos se resolveram com isolamento domiciliar e, segundo o boletim oficial, até o dia de hoje, em uma cidade com quase 170.000 habitantes, tivemos 17 óbitos, sendo 5 pacientes de fora, que já chegaram aqui em estado grave.

Mesmo assim, o prefeito gastou uma fortuna em um hospital de campanha, montado no prédio de um hospital particular desativado, que foi cedido pelo proprietário à prefeitura, como é permitido pelo "estado de emergência", foi feito sem qualquer licitação.

Apesar dos mais de 6 milhões de Reais disponibilizados pelo Governo Federal, no dia 05 de Agosto, quarta-feira passada, foi emitida a ordem de corte do fornecimento de energia elétrica para o imóvel, por falta de pagamento. Agora, porém, temos o "comunicado de compra" de computadores para o local. Quase CEM MIL REAIS por 20 máquinas!!!

Qualquer pessoa é capaz de, em uma pesquisa rápida no Google, ver que estes preços são absolutamente incondizentes com a realidade. Computadores para atendimento ao público, mesmo comprados no varejo, podem ser encontrados por 1/3 dos preços anunciados. Talvez a "campanha" que o hospital se refira seja a eleitoral, que começa o mês que vem, e esteja sendo usado para engordar o caixa 2. Só talvez.

E NENHUM membro do legislativo sequer ousou QUESTIONAR os valores apresentados. Um dos vereadores, aliás, tucano, da base de governo, que já está cumprindo seu ducentésimo mandato, se mostrou extremamente diligente ao cobrar providências, durante uma sessão ordinária, para a falta de café nas garrafas térmicas da câmara, mas ainda não foi capaz de fazer qualquer menção acerca dos gastos exorbitantes da prefeitura. Sequer teve a coragem de prestar solidariedade aos milhares de cidadãos que perderam seus empregos graças às ações idiotas do executivo municipal.

Isso não é exclusividade da minha cidade. Esta acontecendo em todos os municípios do país. Enquanto nos trancam em casa, tiram nossos sustentos e tolhem nossa liberdade, encobertos com a desculpa de "salvar vidas", estão roubando descaradamente o dinheiro público e, pior, sendo considerados, por muitos, como "heróis". Enquanto estiverem livres para realizar compras e contratos sem licitação, nós continuaremos reféns.

LAVEM AS MÃOS E ABRAM OS OLHOS.

"A prosperidade ou a ruína de um Estado depende da moralidade dos seus governantes." (MORE, Thomas)

Felipe Fiamenghi

O Brasil não é para amadores.

assinante_desktop_conteudo_rodape

Comentários