assinante_desktop_cabecalho
assinante_desktop_menu_principal

A esquerda e a distorção proposital da linguagem para proteger bandidos e “tapear” o STF

Ler na área do assinante

Bandidos e trabalhadores moram no mesmo território em uma favela, mas não formam uma "comunidade".

Isso é uma ideia marxista, transformada em engodo político-eleitoral através da distorção proposital da linguagem.

É também um enorme obstáculo para a implantação de políticas de segurança em favelas.

Através da repetição maciça nos meios de comunicação, a doutrinação do politicamente correto obriga os cidadãos de bem a se verem como “irmãos” dos bandidos.

Todos são "gente lá do morro".

Vítimas e carrascos são considerados membros do mesmo grupo - e o ataque aos criminosos passa a ser visto como ataque à “comunidade”.

É isso que a mídia repete todos os dias.

Foi baseada nessa distorção desvairada que a corte suprema proibiu operações policiais nas favelas.

Agora você conhece a finalidade do termo “comunidade”.

Palavras são tudo.

Roberto Motta. Escritor, professor, empreendedor e ativista ligado a causas de desenvolvimento social.

assinante_desktop_conteudo_rodape

Comentários