assinante_desktop_cabecalho
assinante_desktop_menu_principal

Em inglês, Constantino mostra para o mundo quem é Barroso e desmonta sua fala inconsequente (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

Uma lição, didática e desmoralizante.

Foi isso que o incomparável jornalista Rodrigo Contantino aplicou no ministro Luis Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Inicialmente, Constantino esclarece ao mundo o que pode ser considerado uma aberração:

“No Brasil não é preciso ser juiz para ser juiz do Supremo Tribunal Federal”.

Na sequência ele lembra que o próprio Barroso não era juiz.

“E o próprio Barroso não era juiz, mas advogado, que tinha como cliente gente como Cesare Battisti, o terrorista italiano que matou gente inocente em nome do comunismo”.

E prossegue detonando e desmascarando:

“Barroso se considera uma pessoas ungida do iluminismo, que deve ‘empurrar a história’ na direção ‘certa’. Mas isso quer dizer ‘progressismo radical’, autorizando o aborto em qualquer mês de gravidez, casamento gay ou legalização das drogas.”

E revela:

“Tudo isso, é claro, sem o consentimento do povo, ignorando o que o Congresso tem a dizer sobre essas questões. Ele é um ativista que quer governar por decreto, somente pelo poder, em nome da Razão, porque ele quer dizer civilização, e todos os outros são apenas bárbaros.”

E o golpe fatal:

“Como ele exatamente nos trará luz? Vimos um exemplo outro dia, quando ele participou de uma palestra ao vivo com Felipe Neto, um YouTuber estúpido que fez fortuna imitando foca ou falando besteira para crianças

E, por fim, a verdade:

“Bolsonaro está longe de ser um ditador e o seu governo respeita a Constituição. Infelizmente, não podemos dizer o mesmo do Supremo Tribunal Federal, cuja missão é proteger a nossa Constituição.”

Veja o vídeo:

da Redação
assinante_desktop_conteudo_rodape

Comentários