assinante_desktop_cabecalho
assinante_desktop_menu_principal

Witzel afastado, Pastor Everaldo preso e muito mais gente deve cair, alerta o autor da denúncia (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

Otoni de Paula é o autor da denúncia à Procuradoria Geral da República (PGR) que desencadeou a operação Placebo, da Polícia Federal, cujo objetivo é investigar corrupção e lavagem de dinheiro em contratos públicos do Executivo fluminense. Em entrevista à TV Jornal da Cidade Online, ele comentou o afastamento de Wilson Witzel, governador do estado do Rio de Janeiro, de suas atividades por 180 dias, por ordem do Superior Tribunal de Justiça, e os possíveis desdobramentos dessa ação.

“Não há o que comemorar, porque estamos vivendo um estado de luto, estamos passando uma vergonha nacional, nosso estado é o símbolo da corrupção em todo o país”, ressaltou o deputado.

Mais prisões devem acontecer, alerta Otoni de Paula

Pastor Everaldo, presidente nacional do Partido Social Cristão (PSC) e seus filhos foram presos na mesma operação que determinou o afastamento de Witzel. Foi realizada também busca e apreensão na sede do partido. Segundo Otoni de Paula, o que se ouve no Rio de Janeiro é que mais prisões estão para acontecer. “A delação de Edmar Santos, ex-secretário de Saúde do Rio, ainda vai trazer grandes abalos para o mundo político e empresarial do estado do Rio de Janeiro”, destacou o deputado.

Corrupção em todos os partidos?

Filiado ao PSC, Otoni de Paula comentou que gostaria de estar em um partido de anjos, de santos, mas esse partido não existe.

“Gostaria de estar em um partido onde houvesse um detector de canalhas, eu teria uma honra imensa de participar desse partido, só que esse partido não existe no Brasil. Todos os partidos, em níveis diferentes, participam da lama da corrupção, da lama da sacanagem, me perdoem o termo, com a coisa pública”, lamentou o parlamentar.

Assista a entrevista:

da Redação
assinante_desktop_conteudo_rodape

Comentários