ONU poderá intervir em conflitos por terras em Mato Grosso do Sul

Uma comissão da ONU que esteve em visita ao estado de Mato Grosso do Sul na semana passada, onde se fazia presente a filipina Victória Tauli-Corpuz, relatora especial da entidade internacional e ex-presidente do Fórum Permanente de Questões Indígenas da ONU, entre 2005 e 2010, recebeu da vice-governadora Rose Modesto, solicitação no sentido de que a entidade internacional intervenha para que seja solucionada a situação de conflito entre indígenas e fazendeiros no estado.


A representante internacional cumpre agenda na capital federal no decorrer desta semana.

A meta é apresentar relatório oficial com suas conclusões e recomendações ao governo brasileiro e ao Conselho de Direitos Humanos, em setembro de 2016.

“Pedi à representante que leve nossas considerações sobre a questão indígena diretamente ao Governo Federal. Explicamos a situação atual de conflitos de terras em Mato Grosso do Sul e o empenho do Governo do Estado para resolver a situação mas, sem a ação direta de Brasília, ficamos de mãos atadas para efetivamente solucionar esses problemas”, ponderou a vice-governadora.

A Comissão da ONU assumiu o compromisso de levar a reivindicação da vice-governadora à Brasília. “Viemos ao Mato Grosso do Sul porque as notícias que temos é que a região necessita de acompanhamento em razão de situações de conflitos e também a pobreza das famílias indígenas principalmente no sul do Estado. Vamos ponderar com o  Governo Federal a situação local e recomendar ações para a solução desses conflitos”, sinalizou a relatora da ONU.

da Redação

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Variedades