assinante_desktop_cabecalho
assinante_desktop_menu_principal

Fachin é o “agressor” da vez

Ler na área do assinante

Chegou a hora e a vez do ministro Edson Fachin atacar.

Parece ser uma estratégia combinada.

O fato é que os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que deviam se preocupar em tão somente serem os guardiões da Constituição, não o fazem.

Muito pelo contrário. Demonstram, cotidianamente, em suas decisões, total desapego ao texto da carta e, em suas declarações, um certo êxtase em atacar o governo e o presidente Jair Bolsonaro.

Nesta segunda-feira (31), Fachin afirmou que está em andamento no país um “projeto autoritário” e que as eleições de 2022 vão pôr em disputa dois projetos: um que ele caracterizou de “autoritário” e outro ligado à “agenda de 88”, ao se referir à Constituição promulgada naquele ano.

“Creio que a sociedade brasileira precisa se preparar para fazer uma escolha entre essas duas agendas e esses dois projetos. E isso, na via da democracia deliberativa, se dará em 2022”, disse Fachin em transmissão ao vivo nesta segunda-feira (31), promovida pelo programa Violações e Retrocessos, coordenado por acadêmicos de direito da UFPR (Universidade Federal do Paraná).

Ao longo de sua manifestação, o ministro descreveu o que caracterizaria esse projeto que se contrapõe ao campo democrático.

“Uma agenda em raízes de elogio à ditadura civil-militar, uma agenda, portanto, de mentes autoritárias, de menosprezo à democracia, de menosprezo a questões vitais, como meio ambiente, povos indígenas, quilombolas".

E complementou:

"De uma agenda que mistura o nome de Deus com negócios do Estado e uma agenda que tem uma política armamentista, que desrespeita as instituições democráticas, que ofende a imprensa, que escolhe inimigos externos e que busca, entre outras coisas, o controle da educação e do ensino”.

É de se lamentar ver um magistrado do STF opinando em questões políticas e, pior, demonstrando alinhamento ideológico com determinados grupos.

da Redação
assinante_desktop_conteudo_rodape

Comentários