assinante_desktop_cabecalho
assinante_desktop_menu_principal

Bruna, sargento do Exército, foi morta no Rio. Não haverá faixas, nem cartazes...

Ler na área do assinante

A violência no Rio está fora de controle…

Infelizmente, todos os dias, as manchetes são sempre as mesmas.

Violência… Violência e Violência!

Neste domingo, 30, a sargento do Exército, Bruna Carla Borralho Cavalcanti de Araújo, de apenas 27 anos, foi morta a tiros durante um assalto ocorrido em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

O carro da militar que estava com familiares enguiçou no trajeto.

Enquanto seu marido, Angelo Henrique de Araújo, consertava, ouviu gritos de Bruna e em seguida, dois disparos na direção da militar.

A irmã dela e os sobrinhos foram retirados do carro, que foi levado pelos bandidos.

Carla foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas infelizmente não resistiu aos ferimentos.

A irmã de Carla Bruna, Bárbara, publicou em suas redes sociais uma emocionante mensagem de despedida:

"Tanta gente ruim nesse mundo, e infelizmente a minha baixinha foi levada injustamente. Deus como tá doendo. Nunca mais ter as risadas gostosas dela e ver o seu charme de desfilar toda linda por onde passava. Parece um pesadelo sem fim. Volta mana".

No meio de tanta violência e injustiça, Carla perdeu a vida e como diz a manchete desta matéria:

“Não haverá faixas, nem cartazes.”
da Redação
assinante_desktop_conteudo_rodape

Comentários