O vidente fantasiado de cientista, desmoralizado pelos fatos

Ler na área do assinante

Em matéria publicada nesta quinta-feira (3) no portal R7, o inigualável Augusto Nunes relembra as previsões catastróficas do biólogo Átila Iamarino, segundo ele “o vidente fantasiado de cientista”.

O jornalista relembra que foi esse sujeito quem deu início a uma sequência de previsões catastróficas em relação a Covid-19, tudo para promover o terror.

Esse terror que acabou dando origem ao Covidão.

Lembra Augusto Nunes sobre a previsão do “vidente”:

“Num vídeo de longa metragem, ele antecipou o horizonte sombrio: ‘Se o Brasil não fizer nada, se as empresas continuarem funcionando em todos os lugares, se a gente não tivesse decretado o estado de emergência, se todo mundo tivesse seguido a vida normal, só pela covid-19 teríamos 1,4 milhão de mortes até o fim de agosto’, garantiu.”

E explica o jornalista:

“Iamarino baseou-se nos cálculos sinistros do britânico Imperial College: nos 250 dias seguintes, a covid-19 mataria em todo o planeta de 1,8 milhão a 40 milhões de seres humanos. O prazo vencerá neste 7 de setembro. No primeiro dia do mês, o total de óbitos no mundo ainda não chegara a 850 mil.”

O verdadeiro terror em escala mundial.

E Augusto Nunes conclui:

“Toda morte é uma tragédia. Uma imensidão de vidas perdidas é um drama devastador. É sempre um consolo, portanto, constatar que os videntes fantasiados de cientistas foram desmoralizados pelos fatos.”
da Redação
Ler comentários e comentar