assinante_desktop_cabecalho
assinante_desktop_menu_principal

A desconexão com a sociedade, a insanidade esquerdista e como desmontá-la quando dizem “Esse governo está destruindo o país”?

Ler na área do assinante

Volta e meia vem alguém me dizer que “esse governo é horrível” ou que “está destruindo o país”.

Normalmente, saio fora, porque, pelo tipo de afirmativa, sem conteúdo, genérica, abstrata e nitidamente excretada pela simples antipatia do Bolsonaro, é impossível se iniciar qualquer debate construtivo.

Internalizei e adoto a orientação do Nassim Nicholas Taleb: nunca debater com imbecis. No caso, “surdos”, por conveniência ou fanatismo ideológico.

Porém, quando estou paciente e a manifestação advém de pessoa por quem ainda nutro respeito e consideração, tento fazer algumas observações. Digo mais ou menos o seguinte:

“Presumindo que a sua racionalidade esteja ok, quando você fala que algo é ‘ruim’, necessariamente você deve partir de alguma referência do que seja minimamente ‘bom’. Como você fala de governo brasileiro, suponho que você deva ter como parâmetro algum governo brasileiro que tenha sido ‘bom’.
Além disso, governo que tenha sido ‘bom’, foi ‘bom’ sob quais aspectos? Foi ‘bom’ em que áreas de atuação?
Ainda: ‘bom’ ou ‘ruim’, para serem dignos de apreciação, devem ser qualificativos respaldados em fatos, em dados objetivos.
Se não for assim, sua afirmativa é puramente retórica e presumivelmente não terá credibilidade na leitura de qualquer cidadão intelectualmente honesto, bem-informado e inteligente.
Outra possibilidade é que seu juízo de valor, concluindo que algo seja ‘ruim’, tenha como paradigma uma situação que você idealize, que jamais existiu, não existe e sequer existirá. Obviamente, por nosso idealismo, qualquer coisa poderá ser tachada de ‘ruim’, a depender do nosso grau subjetivo de exigência. Ou seja, ser classificado como ‘ruim’ perde todo o sentido prático, ficando, portanto, restrito à utopia.
Dito isso, três perguntinhas: 1) Qual seu governo de referência? Sarney, Collor, FHC, Lula ou Dilma? 2) Em que áreas seu governo de referência foi ‘melhor’ do que o atual? Por quê? 3) Que fatos concretos embasam a sua resposta?
Agora, se você insiste em dizer que esse governo é ‘ruim’, recusando-se a superar as três perguntinhas que lhe fiz; se você se nega a escutar ou assistir sobre o que foi e está sendo feito até o momento, e a refletir a respeito; ainda, se você continua a bater no governo porque, no íntimo, odeia o Bolsonaro vendido pela mídia, estigmatizado, o qual você tem como o ‘verdadeiro’, mesmo sem o conhecer pessoalmente, ou que ele o tenha ofendido propositalmente de alguma forma, …. dois conselhos, com a sua permissão: i) procure um excelente psiquiatra, para ontem; de direita, naturalmente. Depois, ii) leia o livro do Dr. Lyle H. Rossiter, Mente Esquerdista: causas psicológicas da loucura política.”

E vida que segue, sem mágoas ou ressentimentos. Ao menos de minha parte.

Renato Rodrigues Gomes. (Mestre em Direito Público. Ex-oficial da MB (EN90-93). Escritor (autor da trilogia Conscientização Jurídica e Política, e do Desmistificando a falácia da presunção de "inocência", disponíveis na Amazon).

da Redação
assinante_desktop_conteudo_rodape

Comentários