assinante_desktop_cabecalho
assinante_desktop_menu_principal

A força do interior de SP contra a DitaDoria (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

Enquanto o governador de São Paulo, João Doria, quer uma quarentena infinita até que haja vacina para todos, prefeitos do interior lutam para fazer o melhor para a população, garantindo que possam trabalhar e tenham acesso a remédios que salvam vidas.

É o caso de Zezinho Gimenez, prefeito de Sertãozinho, que bateu de frente com o governador e chegou até a sofrer represálias, como corte de verbas.

“Nós seguimos as orientações do Ministério da Saúde, até que o Supremo tirou a responsabilidade dos municípios e do governo federal, jogou para os governadores. Os prefeitos só podiam restringir mais.
Não era enfrentamento da COVID, era um palanque político. Foi uma exploração política já pensando nas eleições de 2022”, criticou Gimenez.

Hidroxicloroquina para o povo de Sertãozinho

O prefeito adotou o uso da hidroxicloroquina na cidade e ele mesmo recorreu ao remédio quando ficou doente.

“Naquele momento em que o Ministério da Saúde recomendou o protocolo, nós adotamos, e disponibilizamos os remédios. Demos aos médicos o direito de prescrever ou não, e aos pacientes de aceitar ou não esse tratamento.
Estamos com enfermarias com ocupação baixa, leitos de UTI sob controle, me parece que salvou mais vidas do que perdemos vidas. O que atrapalhou o enfrentamento, não tenho dúvida nenhuma, foi o embate político, isso ficou muito claro, por isso me revoltei, saí do partido”, desabafou Gimenez, que era do PSBD e ajudou a eleger Doria, inclusive.

Parabenizamos a postura do prefeito Zezinho Gimenez, que acima de qualquer politicagem, pensou na população. Ele é mais um grande exemplo que vem do interior de São Paulo.

Assista a entrevista:

da Redação
assinante_desktop_conteudo_rodape

Comentários