assinante_desktop_cabecalho
assinante_desktop_menu_principal

Huck, o homem de plástico, para se proteger de mulheres “perigosas”

Ler na área do assinante

A pretensa aspiração presidencial de Luciano Huck é verdadeiramente uma grande piada. De péssimo gosto.

Sua pontuação em pesquisas já realizadas é medíocre, notadamente em função de ser ele uma figura conhecida, apresentador de um programa de auditório, na emissora de maior audiência do país.

A explicação, no entanto, é simples. O sujeito é impopular. Não sabe falar a linguagem do povo. E se apresenta como pretenso candidato numa atitude de mero oportunismo, sem nenhuma aptidão para a vida pública.

Neste final de semana, sua aparição na tela da Globo, abraçando uma senhora, a Maria Chocolate, uma educadora que mantém uma biblioteca comunitária em Duque de Caxias, causa asco.

Para se proteger, o apresentador utiliza uma cortina de plástico, evitando qualquer contato físico com a mulher.

Algo até desumano, que aparentemente não incomodou a pobre senhora, mas que demonstrou o quanto Huck é hipócrita, demagogo e sem noção.

Teoricamente, estava atendendo uma norma necessária em relação à pandemia.

O detalhe pernóstico é que no decorrer da semana, Huck estava no Ceará, participando de uma megafesta de aniversário, com inúmeros convidados, contato direto, sem máscara e sem qualquer cuidado.

Perdeu o senso do ridículo.

Veja a festa de Huck:

da Redação
assinante_desktop_conteudo_rodape

Comentários