assinante_desktop_cabecalho
assinante_desktop_menu_principal

A Polícia que ninguém vê... Os verdadeiros salvadores da Pátria (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

Existem coisas que alguns membros da Polícia Militar do Rio de Janeiro fazem que são dignos de censura e desonra.

É verdade.

Mas estas atitudes erradas de pessoas que envergonham a farda, já tem a Globo para mostrar.

Os heróis das Polícias Militares e Polícias Civis do Brasil, essa polícia que não tem os salários, status e glamour da briosa Polícia Federal que prende os grandes corruptos da nação sob os holofotes da mídia.

Quanto às PCs, e principalmente as PMs, que lidam com o cotidiano enfrentando os AK 47, AR 15 e às ponto 50, nos morros e favelas com seus 38 amarrados com arame.

Pelo menos lá em cima, ou no subúrbio, eles sabem quem são os adversários.

Aqui em baixo, nas Zonas Nobres das cidades, enfrentam o bandido com costas quentes, os drogados filhinhos de papai, os poderosos pedófilos, e aquelas que sempre estão dispostos a dar uma carteirada e perguntar:

“Você sabe com quem está falando?”

Esses policiais, que separam brigas de marido e mulher?

Que tiram o gato de cima da árvore, ou salvam a vida de algum bebê engasgado enquanto a mãe se desespera ou fazem o parto na viatura que não chega a tempo no hospital lotado?

Esses, a mídia, a Globo, a CNN não mostra, preferem glamorizar o bandido, o corrupto, ou qualquer um que se declare vitima da sociedade.

Heróis como o sargento Jorge de Jesus, que consertava bicicletas nos finais de semana para complementar o orçamento, além dos bicos de segurança. Homem que sua esposa precisava secar a farda dentro de casa porque se secasse ao ar livre, a facção de plantão o exterminaria.

Lembro quando entreguei minha irmã a ele em um casamento comunitário realizado em um clube na cidade de Cabo Frio, e como encontrei minha irmã pouco mais de 12 anos depois, enquanto palavras incapazes tentavam consolá-la no cemitério da Sulacap, também no Rio de Janeiro.

O homicídio do sargento Jorge, meu cunhado, a menos de cem metros de seu batalhão até hoje não foi solucionado. E depois dele, outras centenas de policiais foram abatidos pelas balas dos criminosos, pelo abandono dos governadores, e pelo desprezo da sociedade.

Parece que PM não é gente.

Repetimos saber da existência da banda podre nas Polícias. Como há uma banda podre no Congresso Nacional. Nas estatais. No Supremo Tribunal Federal. Que família não tem sua ovelha negra?

A banda sadia da PM – que é a grande maioria – a mídia não mostra. Então cabe a nós, que não temos seguranças armados e carros blindados ao nosso dispor, divulgar os atos de bravura, heroísmo e entrega cotidiana que a maioria dos policiais fazem.

Parabéns aos policiais do vídeo, que Deus os abençoe, os livrem do mal, e dê uma mão firme e uma boa mira quando precisar disparar contra os que se colocarem como inimigos da sociedade.

Lembrem-se, é melhor ser julgado por 7, do que ser carregado por 4.

Confira:

Denílson Faleiro de Souza. Advogado.

assinante_desktop_conteudo_rodape

Comentários