assinante_desktop_cabecalho
assinante_desktop_menu_principal

Um emocionante relato que salva vidas

Ler na área do assinante

A história de Magui Magda Bersani, 62 anos, comerciante em São Paulo, é um exemplo de como estar bem informado e não ter preconceito significa conviver com o Vírus Chinês com maior segurança.

Ainda em abril, o estado de saúde de sua filha, Mariana Bersani Nunes de Souza Cruz, de 31 anos, também comerciante (ela e o marido, Cesar Henrique de Souza Cruz, de 36 anos, possuem uma rede salões de beleza em Recife), começou a preocupar: ainda não era Covid, era depressão em ver que o negócio da família iria à ruína com o lockdown arbitrário e rigoroso.

Foi então que a mãe convenceu Mariana a vir com o marido pra São Paulo, pois talvez distante do problema a preocupação poderia passar.

O que ninguém sabia era que o casal pegaria o Vírus Chinês em São Paulo. Em julho, ambos manifestaram os sintomas: ela teve uma dor de cabeça forte e ele amanheceu febril, com dores pelo corpo.

SINTOMAS E INTERNAÇÃO

A dor de cabeça de Mariana passou com analgésico...o caso de César, diabético, obeso, foi bem mais complicado...pode-se dizer que ele correu riscos de vida, na medida em que os dois hospitais que o atenderam – o São Luiz e o Alvorada – nem sabem o que é

o tratamento precoce. Internado no Alvorada, a família chegou a exigir que César fosse tratado com hidroxicloroquina, mas não foi atendida: usaram azitromicina, codeína e Rocefin.

A GRANDE LIÇÃO

A grande lição da história foi relatada pela precavida Magui Magda Bersani:

- Na véspera do diagnóstico, jogamos cartas até altas horas da noite e eu dormi abraçada com minha filha, depois de dividirmos o mesmo copo d’água. Achei que iria pegar, achei que todos em casa seríamos infectados...mas que nada: eu, meu marido, que é diabético, e meu filho de 36 anos, tomamos Ivermectina...e mais uma cunhada, de 77 anos, e seu marido, de 81 anos, também conviveram vários dias com o casal infectado – não tiveram nenhum problema; estavam protegidos com a santa Ivermectina!”

Dirceu Pio. Jornalista

da Redação
assinante_desktop_conteudo_rodape

Comentários