assinante_desktop_cabecalho

Por 24 x 0, prossegue o processo de impeachment de Witzel

Ler na área do assinante
'24 x 0'

Esse foi o placar com o qual a Comissão do Impeachment aprovou, nesta quinta-feira (17), um relatório favorável ao prosseguimento do processo de impeachment de Wilson Witzel, que já tinha sido afastado temporariamente do governo pelo Superior Tribunal de Justiça.

Na próxima semana, os parlamentares devem votar no plenário a admissibilidade da denúncia por crime de responsabilidade contra Witzel, acusado de ter comandado um esquema de desvio de recursos destinados ao combate à pandemia do novo coronavírus.

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) já havia retirado o governador do cargo, não obstante, a decisão dos deputados é importante porque poderá abrir caminho para o afastamento definitivo de Witzel.

O parecer votado nesta quinta foi apresentado na segunda-feira (14) pelo relator, o deputado Rodrigo Bacellar, e defendia "autorização para prosseguimento do processo pela comissão mista com vistas a julgar Wilson Witzel pela prática de crime de responsabilidade".

No parecer de 77 páginas, o relator afirmou:

"Fortes indícios de proximidade entre os empresários que se locupletaram do dinheiro público e o denunciado [Witzel]; aliado ao fato de que grande parte dos danos ao erário somente foram possíveis ante à direta intervenção do denunciado, denotam a necessidade de prosseguimento do processo".

A denúncia apresentada pela PGR afirma que Witzel utilizou-se do cargo para estruturar uma organização criminosa, na qual fornecedores do estado teriam pago R$ 554.236,50 em propinas ao escritório de advocacia de sua esposa, Helena Witzel.

Interceptações telefônicas e um ofício assinado pelo governador afastado são apontados pelos investigadores como indicativos de sua participação em irregularidades.

da Redação
assinante_desktop_conteudo_rodape

Comentários