assinante_desktop_cabecalho

Pobreza sufoca a argentina no 1º semestre e atinge 40,9% da população

Ler na área do assinante

Governada pela esquerda, a Argentina caminha a passos largos para a “venezuelização”.

Dados que surgiram na última semana indicam que o índice de pobreza na Argentina subiu para 40.9% da população no primeiro semestre deste ano, sendo que desse total 10.5% corresponde a pessoas em nível de indigência.

Os números representam o pior registro sócio-econômico da história do país, atualmente governado por Alberto Fernandez.

Segundo o Instituto de Estatística, no primeiro semestre deste ano, a renda familiar mensal total média das famílias pobres era de cerca de US$ 320.00 pelo câmbio oficial.

No entanto, a cesta básica atingiu US$ 545.00, o que corresponde a 40% a mais da renda.

No final de 2019, a taxa de pobreza era de 35.5% e a indigência de 8%. Na comparação interanual, o número de pessoas abaixo da linha da pobreza aumentou 5.5 pontos percentuais e na indigência 2.8 pontos percentuais.

Um triste retrato do socialismo sendo impregnado em solo argentino.

Fortaleça o jornalismo independente do Jornal da Cidade Online.

Faça agora a sua assinatura e tenha acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

Fonte: Valor/Globo

da Redação
assinante_desktop_conteudo_rodape

Comentários