O universo humano e a morfologia da vida

Quem sou eu em mundo tão individualista, que exclui o outro diante de si, que não atenta para o que recuso ser diante daquilo que não faço diante de quem espera de mim, um gesto somente?

Certamente, a questão sobre o lugar do homem no universo é bem mais antiga do que podemos imaginar. Ela agrega alguns valores e até deveres, sendo modificada de acordo com a visão daquele que está falando. Na religião, por exemplo, o que se denota é que o lugar do homem seja exclusivamente na Terra e como servidor, em não contato com outras forças, somente depois de atingir uma espécie de “maturidade espiritual”.
Já na filosofia, dizer exatamente onde nos cabe é limitado. E para quem entende um pouco sobre essa ciência, se limitar não é nem de longe uma boa opção. Essa é uma questão que está em centro da antropologia filosófica. O homem é um ser vivo, natural, com pedaços e corpo.
Não há em especificação, determinações sobre sua índole ou o seu processo de conhecimento mediante a vida. Os homens são muito diferentes uns dos outros, fazendo com que suas personalidades sejam tão distintas que, ainda que acabem por sê-los iguais semelhantemente, são únicos em interior.
Ocupamos também, lugares significados na hierarquia dos entes, as vezes queremos ter a ânsia de fazer para o outro, quando o que alguém espera de nós, é que sejamos pessoas. Dar uma roupa que tenho, é diferente de dar o que efetivamente sou, não passa pela matéria, não passa por aquilo que a gente consegue enxergar, por aquilo que a gente consegue materializar, a presença do outro, só quer o que efetivamente somos. 
Dar o que a gente é, não é o mesmo que dar o que temos, isto se nos apresenta como a oportunidade de ser para o outro, de ser a melhor parte.
Talvez a melhor morfologia da vida, reside no amor materno, disto não tenho dúvidas, que ela representa o melhor assunto que alguém escreveria, melhor tese, o formato de tudo que é vivo, o melhor livro , o formato de tudo que é vivo, talvez por que o aprendizado do lar, nos ensina o valor da família, do ser, mais do que do ter, como referencia da unidade, do lar, da felicidade que mora dentro da gente.
Tenho aprendido, que o que faz sentido na vida, não é a conta bancária que se tem, o cargo que se exerce, se viajamos para muitos países, se falamos vários idiomas, tudo isso, é algo notável, mas, melhor do que esta em um lugar cercado de falsas identidades, é ser verdadeiro consigo mesmo, isso realmente é o que importa.
Se me perguntarem o que faz sentido para mim eu responderia, que a base de tudo é o amor, o resto são sombras de uma vida sem profundidade, rasa. 
Existem pessoas que se aproximam de outras, por razões de interesse, buscando estar ao lado de nomes famosos, pra sair na foto de um jornal ou revista. Francamente, não me atenho a este perfil, gosto de viver de forma simples, de andar na praia, de ir a feira, de manter contato com pessoas e assim, construir amizades sinceras. O jeito natural e simples de muita gente que conheço me cativa muito mais do que a formação culta de tantos, que se mostram preconceituosos e indiferentes ao outro.
Certamente, pessoas precisam de pessoas, isto é o que importa, o resto são apenas linguagens que confundem e que vão do nada ao lugar nenhum.
O "homem nasce com direito à liberdade de sua pessoa". A pessoa, porém, não nasce com o "homem". 
A qualidade de pessoa deve ser adquirida; é um status a ser alcançado. 
O homem desenvolve-se para a pessoa; do ser humano passa-se ao ser inteligente, racional e responsável, que se reconhece como um "si mesmo" em diferentes tempos e lugares. Do homem chega-se à pessoa responsável por seus atos e que, como tal, se reconhece no presente e no passado e da mesma forma é reconhecida por outras pessoas.
Ser pessoa é ser dono de você mesmo, e saber lidar com seu jeito de ser, de amar, de sentir, de pensar, de ter suas limitações e saber o que você pode.
Eu tenho que ser eu. Uma pessoa só pode ser pessoa, se ela é dona de si. Nós temos que tomar posse do que somos.
Ser pessoa é existir em todas as dimensões do ser humano: biológica, social, psicológica e espiritual (principalmente nessas duas últimas que são interiores).
Nós existimos à medida que perseguimos valores, metas, ideais que nos atraem e nos impelem a ‘gastar’ a vida, a autotranscender-nos, a doar-nos, a sair de nós mesmos para uma missão maior que nós mesmos.
Gosto de ser gente porque, inacabado, sei que sou um ser condicionado, mas consciente do inacabamento, sei que posso ir mais além dele. Esta é a diferença profunda entre o ser determinado e o ser condicionado. ( Paulo Freire)
Qual a tênue linha que separa pessoas de gente? Acho que já falei sobre isso aqui, mas vale repetir; estamos vivendo tempos de pessoas embaladas a vácuo, todas se formatando como se fossem bonecos em uma esteira de linha de produção numa fábrica de brinquedos. Precisamos urgentemente sair das embalagens. Precisamos tomar ar e virar carne fresca.
Devemos ser gente quando estamos na rua, com estranhos, com conhecidos e não somente quando fechamos a porta e nos trancamos dentro de nossas casas com quem temos intimidade. 
Ser Humano não é a mesma coisa que Pessoa, como também não é o mesmo que cidadão, este muito mais próximo do termo Pessoa. Ser Humano é um termo mais genérico ou indeterminado, que diz respeito à espécie, à classificação, ao mundo zoológico. É por isso que nos sentimos mais à vontade em dizer Homem (ser humano) das Cavernas e não pessoa das cavernas.
Pessoa, em nossa cultura, se opõe ao indivíduo, se opõe à coisa e ao animal, ainda que de modo distinto. Enquanto se distancia das coisas e aos animais, o termo Pessoa se aproxima do termo Ser Humano, mas não se superpõe a ele.
Portanto, Ser Humano não é a mesma coisa que Pessoa, como tampouco Ser Humano é o mesmo que cidadão, este muito mais próximo do termo Pessoa. 
Ser Humano é um termo mais genérico ou indeterminado, que diz respeito à espécie, à classificação, ao mundo zoológico. É por isso que nos sentimos mais à vontade em dizer Homem (ser humano) das cavernas e não pessoa das cavernas. 
Pessoa é um termo mais específico, que tem a ver com o mundo civilizado ou, se preferirmos, com a constelação dos valores morais, éticos e jurídicos próprios da civilização.
O termo 'pessoa' sempre foi muito usado, principalmente pelos gregos. 'Pessoa', no contexto grego, significa a máscara que o ator usava para interpretar no teatro.
Quantas coisas você possui e ainda não tomou posse? O amor é a capacidade de descobrir no outro o que ele ainda não viu que tem. É como se você tivesse uma grande propriedade e não tivesse a capacidade de andar por ela para demarcá-la, e não a conhece na totalidade. Mas aos poucos vai sendo dono daquilo que já é seu.
Não é só contemplar o que sou e tenho de melhor, mas ser pessoa é descobrir e cultivar o que tenho de melhor para que outros sejam beneficiados.
O ser humano é um ser bio-psico-sócio-espiritual, segundo a Antropologia e Ontologia aceita pela Análise Existencial e Logoterapia de Viktor Emil Frankl.
“Eu sou pessoa, e me recebo de Deus o tempo todo. E Ele diz: "Cuide do que você é. Você não tem o direito de deixar as pessoas lhe roubar". E tem pessoas que te 'devolvem'. A experiência com Deus sempre diz: "Eu lhe devolvo". (Pe. Fábio de Melo)
"Se deres tudo, menos a vida, fica certo de que não deste nada." (Henrik Ibsen). 
“É feliz apenas aquele que dá." (Goethe)


Pio Barbosa Neto

                                               https://www.facebook.com/jornaldacidadeonline

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal da Cidade Online

Pio Barbosa Neto

Articulista. Consultor legislativo da Assembleia Legislativa do Ceará

Siga-nos no Twitter!

Mais de Pio Barbosa Neto

Comentários

Notícias relacionadas