assinante_desktop_cabecalho

Esquerda — uma utopia infantil, degradante e narcisista

Ler na área do assinante

Apesar da esquerda levar-se muito a sério, nada é mais infantil, fantasioso, pretensioso, prepotente e delirante do que o conjunto de ideias que ela propõe e defende.

Seus adeptos são indivíduos sempre dispostos a rejeitar a realidade em favor de fantasias e de posicionamentos ideológicos puramente sentimentais, completamente destituídos de lógica e racionalidade.

As ideias da esquerda jamais funcionam no mundo real, mas seus adeptos estão sempre dispostos a rejeitar a realidade em benefício de deploráveis e impraticáveis fantasias utópicas.

Por serem completamente incompatíveis com a realidade, as ideologias difundidas pela esquerda política geralmente encontram ampla aceitação em ambientes como escolas e universidades, instituições que são financiadas pelos impostos excruciantes que o estado obriga o contribuinte e a sociedade produtiva a custear.

Por essa razão, seus beneficiários — incapazes de perceber como são financiadas essas estruturas de ensino, e principalmente por terem todas as suas necessidades plenamente atendidas — não estão constrangidos, nem são limitados pelas mais severas urgências da realidade.

Muito pelo contrário, os alunos podem percorrer à vontade — de forma sensível e abundante —, o vasto paraíso de fantasias utópicas das divagações que são recorrentes nos debates, que ocorrem em sala de aula.

Esse é um dos motivos pelos quais escolas e universidades transformaram-se em antros de doutrinação sistemática de crianças e adolescentes. Ensinam-se muitos delírios e fantasias políticas, ao passo que a realidade prática é completamente negligenciada.

As pessoas que habitam o mundo real, por outro lado, não possuem tempo disponível para desperdiçá-lo estudando fantasias políticas infantis e utópicas.

Caso o fizessem, as rejeitariam sistematicamente, pelo simples fato de que compreenderiam — em função de sua própria experiência de vida — que o sistema de crenças difundido pela esquerda política é completamente incompatível com o pragmatismo da realidade.

Theodore Roosevelt, que foi presidente dos Estados Unidos de 1901 a 1909, em certa ocasião disse:

"Se você quer irritar um conservador, diga a ele uma mentira. Se você quer irritar um esquerdista, diga a ele a verdade".

Essa sentença é absolutamente verdadeira. Experimente afirmar para um esquerdista que a Venezuela ou Cuba são ditaduras. Apesar de serem fatos incontestáveis — nenhuma pessoa decente e honesta discordaria desse fato —, militantes de esquerda se prestam a enveredar por impensáveis malabarismos teóricos, retóricos e intelectuais para tentar convencer você do contrário.

O que não deixa de ser irônico, pois eles tentam nos obrigar a reconhecer que o regime militar foi uma ditadura, apesar de ter oprimido e matado muito menos pessoas do que as ditaduras que eles defendem, e que eles persistem em afirmar que não são ditaduras.

Infelizmente, é muito difícil tentar compreender porque um militante percebe o mundo da forma como o percebe; afinal, o conjunto de crenças da esquerda política é tão absurdamente infantil, histriônico, cínico e utópico que é inconcebível aceitar que até mesmo pessoas adultas acabem aderindo a tão degradante, maledicente e irracional conjunto de crenças.

A esquerda apresenta uma visão de mundo tão superficial e vazia, sua doutrina ideológica articula-se sobre uma fórmula pseudointelectual tão artificial, deficiente e demagógica, e possui um conjunto de valores tão simplório e ordinário — afinal, em momento algum contempla as inúmeráveis vicissitudes e as infindáveis complexidades da natureza humana —, que é simplesmente estarrecedor reconhecer a existência de uma ideologia tão funesta, mundana e incoerente, e pior ainda, constatar que existam pessoas que efetivamente acreditam nela.

Quão terrivelmente comprometida não devem estar as capacidades cognitivas de uma pessoa para ela acreditar em um sistema de crenças tão irracional e desconectado da realidade? As crenças esquerdistas podem ser resumidas da seguinte forma: Socialismo e comunismo são do bem, o problema do mundo é o capitalismo.

Cuba e Venezuela não são ditaduras. Todas as pessoas do mundo são puras, generosas e sacrossantas, menos o homem branco, capitalista, cristão, conservador, heterossexual. Este é o responsável por todos os problemas da humanidade. Se um homem é rico, ele é do mal. Mas se for um rico de esquerda, então ele é do bem.

Criminosos são vítimas da sociedade, e não devem enfrentar as consequências de suas ações; afinal, a responsabilidade individual não existe, apenas a injustiça coletiva.

Precisamos pagar a dívida histórica, mesmo que você não tenha escravizado ninguém, e a escravidão tenha sido abolida há mais de cento e trinta anos. Todos os países do mundo são justos e maravilhosos, menos os Estados Unidos imperialista, o grande responsável por todas as desgraças e atrocidades da humanidade. O Oriente Médio seria um paraíso se Israel não existisse.

Armas matam, é melhor restringir completamente o acesso para o cidadão comum, e deixá-lo completamente vulnerável e indefeso diante da ação de criminosos, bandidos e delinquentes, assim o cidadão comum pode ser assaltado e assassinado com mais facilidade pelas pobres e indefesas vítimas da sociedade.

Afinal, isso não é injustiça é reparação histórica. Racismo é algo ruim, a não ser que seja de um negro contra um branco; aí não é racismo, é reparação histórica. Vamos defender os direitos das mulheres através do sufrágio universal e do feminismo, mas vamos ficar completamente omissos e calados diante da violência e da opressão que as mulheres sofrem em países muçulmanos, tendo seus rostos queimados em ataques realizados com ácido, quando recusam-se a serem subjugadas pela machista sociedade patriarcal que as escraviza.

Vamos falar de islamofobia, mas vamos ignorar completamente todos os atentados terroristas cometidos por muçulmanos. Vamos falar de islamofobia novamente, mas vamos ignorar completamente a cristofobia, omitindo o fato incontestável de que o cristianismo é a religião mais perseguida do mundo, e que aproximadamente cento e cinquenta mil cristãos são assassinados anualmente — a grande maioria em países muçulmanos — em decorrência de suas crenças religiosas.

Ditaduras são do mal, menos se forem ditaduras de esquerda ou teocracias islâmicas, aí são governos legítimos. E quem não concorda com este doentio, deplorável, infantil, incoerente e absurdo conjunto de crenças, que são resultado de uma completa e total distorção da realidade objetiva, é um fascista opressor de extrema-direita.

Basicamente, esse é um resumo das crenças da esquerda política e da militância. Um conjunto de bestialidades irracionais que não fazem o menor sentido para uma pessoa normal.

De fato, a esquerda política e sua doutrinação sistemática são problemas tão graves e tão aterradores, que conseguem desmantelar totalmente a capacidade de raciocínio de seus adeptos através da dissonância cognitiva.

Por isso, tantas pessoas passam a acreditar nas baboseiras absurdas e irracionais da ideologia esquerdista. Elas são afastadas de forma gradual da realidade prática — até ficarem completamente alienadas — e na sequência, são doutrinadas de forma severa através de uma pungente, porém sistemática inversão de valores, que acaba comprometendo de forma quase irreversível sua capacidade mental de fazer uma leitura objetiva da realidade.

Todos os militantes — sem quaisquer exceções — são militantes porque foram sistematicamente doutrinados. Na esquerda política, existem apenas dois tipos de pessoas: o candidato a um cargo político, que é um psicopata desesperado por poder, e o militante, que serve como idiota útil e massa de manobra para o psicopata político desesperado pelo poder.

Analisar todas as coisas de forma crítica — rejeitando frontalmente as demagogias oportunistas de doutrinas políticas desconectadas da realidade — é o que faz o indivíduo que se opõe ativamente à ideologia de morte e destruição promovida pela esquerda. Nós precisamos servir como barreiras de proteção e obstáculo ao insidioso projeto político da esquerda, que atua na sociedade através da subversão cultural, que distorce valores tradicionais milenares e corrompe ativamente a juventude, transformando jovens promissores em rebeldes histéricos e irracionais, preocupados unicamente em depredar, vandalizar e destruir.

A esquerda é um projeto político de subversão sistemática, que pretende desmantelar completamente todos os valores morais através da degradação social, da depravação fisiológica e da degeneração compulsória promovida por uma ideologia pérfida, colérica e bestial, cujo maior objetivo é afastar o homem de Deus, e sujeitá-lo à servidão do estado onipotente. Por essa razão, a esquerda política se empenha tanto em erradicar a ordem natural.

Quem não é ludibriado, iludido ou enganado pela esquerda política respeita a ordem natural de acordo com todos os seus critérios objetivos, e analisa os fatos como estes realmente se apresentam, sem distorcê-los por um viés ideológico. Esse é um dos baluartes da tradição conservadora.

O conservadorismo, por definição, não requer doutrinação alguma. Ele é o estado natural do homem. Basta preservá-lo e difundi-lo, pois seus valores coesos — como a fé em Cristo e a família tradicional — irão naturalmente contribuir para que a socidade obtenha verdadeiro êxito e prosperidade.

Wagner Hertzog

Fortaleça o jornalismo independente do Jornal da Cidade Online.

Faça agora a sua assinatura e tenha acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

assinante_desktop_conteudo_rodape
Ler comentários e comentar