assinante_desktop_cabecalho

Eleições Municipais: O quê está em jogo?

Ler na área do assinante

A cultura brasileira, em se tratando de eleições, sempre foi de pouco valorizar os pleitos municipais, valorizando mais as eleições majoritárias para a Presidência da República e Governo de estados.

Tentaremos pontuar aqui o porquê da necessidade de mudarmos esse paradigma.

1. Eleições municipais caracterizam-se pela proximidade entre candidato e eleitor. Votamos no primo, no tio, no amigo, no vizinho, no parente, pouco estabelecendo relação com os valores que aquela pessoa traz em si e com sua filiação partidária.

Duplo perigo: VALORES são a BASE sobre a qual a PERSONALIDADE se constrói, e eles precisam ser os mesmos que os seus.

Ouço muito: "existem pessoas boas em todos os partidos", o que não deixa de ser verdadeiro, mas há um ponto crucial aqui, pois o partido SEMPRE ditará as regras, por independente que possa ser o candidato, sua livre expressão sempre será relativa.

Por isso, observar o partido/coligação é FUNDAMENTAL.

Há todo um espectro partidário fundado na ideologia marxista que vem mudando de nome, cor e número na tentativa de manter seus eleitores, pois o povo começa a enxergar melhor essa falácia, mas ainda pode cair pelo ponto levantado: proximidade eleitor/candidato e inobservância deste ponto fundamental.

2. Enquanto a eleição para prefeitos se dá por maioria, a de vereadores atende à PROPORCIONALIDADE.

Pouco pensamos à respeito disso, a maioria mesmo não faz nem conta que isso existe.

E o que quer dizer isso?

Que o seu voto pode ajudar a eleger não o "seu candidato", mas alguém que você não escolheu (e pode inclusive não gostar), mas que teve mais votos naquela legenda.

Ou seja: mais importante até que escolher o CANDIDATO é escolher a IDEOLOGIA (ou a ausência dela) do partido/coligação onde ele está filiado.

De igual forma, votos em branco e nulos só ajudam as velhas raposas que já tem votos cativos na comunidade.

3. Nos últimos anos e com o resultado das eleições de 2018, houve um desmonte do esquema bilionário de corrupção que abastecia inúmeros partidos em suas campanhas, restando agora, para estes afeitos a tal modus operandi, o fundo partidário (que embora imoral ainda é legal) e as PREFEITURAS DE MUNICÍPIOS ESTRATÉGICOS para "levantar recursos" para as eleições majoritárias de 2022. A hora de ficar esperto é AGORA!

4. Os últimos anos tem se caracterizado por um crescente despertar da consciência política do povo brasileiro, isso é um ALERTA para os que defendem a causa progressista/ socialista/ comunista (vários nomes pra mesma coisa, gradações de mesma convergência), que começam a perceber que, em alçando-se ao poder, é preciso "dar o bote" o mais rápido possível. Aconteceu na Venezuela, está acontecendo na Argentina e esboça-se no Chile. Nós AINDA temos como evitar isso, basta CRIAR ALTERNATIVAS para os pleitos estaduais e federal dos próximos anos, e elas nascem AQUI e AGORA, NOS MUNICÍPIOS.

Poderíamos continuar a discorrer, mas o leitor já deve estar cansado.

Terminamos como começamos: tudo tem início na definição dos VALORES que desejamos VER REPRESENTADOS. Citarei aqui aqueles que nos são particulares:

- defesa da vida desde o ventre,

- defesa da infância,

- Estado com poder limitado,

- defesa das liberdades individuais,

- oposição à ideologia de gênero,

- oposição à liberação das drogas,

- defesa do empreendedorismo,

- oposição à doutrinação nas escolas,

- defesa da família,

- livre-mercado, dentre outros.

Pense você também, defina quais são os seus valores, defina seu voto por eles e pelos seus filhos.

#SeuVotoTemPoder

Sandra da Silva Kucera

Você quer saber como ajudar o Jornal da Cidade Online?

É simples, fácil e rápido...

Só depende de você!

Faça agora a sua assinatura e tenha acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

assinante_desktop_conteudo_rodape
Ler comentários e comentar