“Por enquanto, nenhuma dessas vacinas contra COVID-19 é segura”, alerta infectologista (veja o vídeo)

Ler na área do assinante
“Eu acho que são muito displicentes, tanto políticos que não entendem absolutamente nada como também parte da imprensa, que fala com absoluta certeza de uma coisa que eles não entendem absolutamente nada”, criticou o infectologista Paulo Olzon, em entrevista exclusiva para a TV Jornal da Cidade Online.

Vacinas demoram anos para serem criadas – a mais rápida, da caxumba, levou quase cinco anos para ser aplicada com segurança na população. No entanto, as vacinas contra COVID-19 estão sendo produzidas praticamente a toque de caixa – A Anvisa, pressionada pelo lobby político e farmacêutico, já liberou a importação de insumos para a produção de 46 milhões de doses de vacina chinesa pelo Butantan. Ou seja, o mesmo país que espalhou o vírus pelo mundo, agora está vendendo a cura.

Vacina não é brincadeira!

Olzon alertou ainda para os riscos gravíssimos da aplicação das vacinas sem que todos os testes de segurança sejam realizados.

“Já tem história mostrando que pode dar inflamação de nervos, pode dar o quadro da própria doença... não tem segurança nenhuma, não tenho a menor dificuldade em falar, tem que passar por várias etapas até a vacina ser segura, vacina não é brincadeira! Pegar uma vacina, onde você mata o vírus e injeta nas pessoas, é o que me parece que estão propondo, isso é absurdo, não tem o menor sentido, é de altíssimo risco – inclusive, quem está propondo as vacinas, está pedindo para se isentar de responsabilidade sobre as consequências”, explicou Olzon.

Empresas farmacêuticas querem proteção legal contra problemas em vacinas:

https://valor.globo.com/mundo/noticia/2020/08/26/farmaceuticas-querem-protecao-legal-contra-problema...

Sobre a questão de a vacina obrigatória ser levada para discussão no STF, o especialista considera mais um absurdo:

“Isso não tem nada a ver com o STF, isso tem que ser resolvido tecnicamente, sem influência política, deveria ser resolvido pelo ministério da Saúde. Eu, por acaso, tenho conhecimento para falar sobre Direito? Não tenho! Isso é absurdo! Obviamente, em tom de brincadeira, os governadores e demais políticos deveriam ser os primeiros a tomar a vacina”, disse Olzon.

Vale lembrar que os brasileiros não são antivacina, negacionistas ou anticiência, o povo só não quer ser cobaia nas mãos de lobistas aproveitadores e políticos corruptos que servem a governos obscuros e totalitários.

Confira:

Você se incomoda com as publicidades no site?

Você quer ajudar o Jornal da Cidade Online?

Então, faça a sua assinatura do JCO e navegue no site sem nenhuma publicidade.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você ainda terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você!

Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar