assinante_desktop_cabecalho

Movimento negro agora tenta tirar presidente de Palmares à força

Ler na área do assinante

Com a justificativa de que o presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, “vem desafiando os limites da ordem jurídica”, líderes de mais de 50 instituições ligadas ao movimento negro do Brasil, solicitaram ao Ministério Público que acione a Justiça para retirar o jornalista da presidência da entidade.

O pedido foi protocolado, ontem (20), como representação por improbidade administrativa à Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão.

Em documento, eles alegam que a “ordem jurídica e o real compromisso do Estado Brasileiro com a promoção da igualdade racial” e questionam a falta de uso da verba da Fundação.

De acordo com eles, até setembro de 2020, a pasta só utilizou 47,52% do valor destinado à Fundação e afirmam que é o menor percentual desde 2012.

Coincidentemente, a queixa das instituições ocorre apenas alguns dias depois que Sérgio Camargo incluiu outras categorias profissionais – como policiais, militares e outras autoridades – na lista de homenageados pela Fundação.

O fato não passou despercebido dos comunistas de plantão que passaram, imediatamente, a questionar por que motivo Elza Soares, Gilberto Gil. Conceição Evaristo, Madame Satã e Marighella foram excluídos da lista.

Sem se intimidar, Camargo respondeu:

"Madame Satã e Marighella nunca serão nossos heróis. Somos pró-policia, lei e ordem”, informando que o perfil celebrado pela esquerda é diferente das características que a instituição está homenageando: pessoas que, de alguma forma, contribuíram para a história do Brasil.

"Haverá exclusão de vários nomes. Novas personalidades serão incluídas em razão do mérito e da nobreza de caráter", disparou aos “artistas e intelectuais chorões”, no início da semana.

O humorista Mussum, que por anos fez parte dos “Trapalhões”, está na nova lista. O comediante, um dos mais conhecidos no país, teve uma rígida formação militar e foi cabo da Aeronáutica. Além dele, Wilson Simonal, que foi colaborador durante o regime militar, também será homenageado, a partir do início de dezembro. Outros nomes ainda serão anunciados.

Um movimento apócrifo, criminoso e fascista está tentando destruir o Jornal da Cidade Online.Eles não admitem o debate. Querem castrar a liberdade de expressão e implantar o pensamento único.

Para tanto, tentam zerar nossas receitas, praticando o terrorismo junto a nossos anunciantes.

Ajude o JCO a continuar sobrevivendo com independência. Faça a sua assinatura.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você ainda terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
assinante_desktop_conteudo_rodape
Ler comentários e comentar