Tedros ressalta importância da atividade física e 'avaliza' Bolsonaro que incluiu academias como atividade essencial

Ler na área do assinante

Cinco milhões de vidas poderiam ser salvas no planeta, anualmente, se as pessoas desenvolvessem o hábito de se exercitar, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), ao traçar diretrizes orientadoras para a área.

O combate ao sedentarismo deve ser praticado, mesmo por pessoas que já tenham alguma doença. Adultos podem fazer de duas horas e meia a cinco horas por semana de exercício vigoroso ou moderado. Crianças e adolescentes podem fazer um pouco mais: uma hora por dia.

Apesar de necessário, poucas pessoas realizam atividade física regularmente. A OMS estima que um em cada quatro adultos não pratica exercício suficiente. Entre os adolescentes, o índice é surreal: quatro em cada cinco.

Por não tratar o corpo adequada e antecipadamente, os prejuízos são grandes, inclusive, economicamente, para os governos, que investem alto em tratamentos paliativos.

“Globalmente, estima-se que isso custe US$ 54 bilhões em cuidados diretos de saúde e mais US$ 14 bilhões em perda de produtividade”, salienta o relatório, informando que a atividade física regular previne e controla doenças cardíacas, diabetes tipo 2 e o câncer.

Além de todos os benefícios, a prática de atividades diminui a depressão e a ansiedade, aumenta a concentração e melhora a memória e saúde do cérebro. Até mulheres grávidas e aquelas em pós-parto são incentivadas a se exercitar, assim como os que convivem com alguma deficiência.

Para os idosos, uma rotina diária de exercício contribui para a coordenação e o equilíbrio, fortalecimento muscular e previne quedas.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que ser fisicamente ativo é fundamental para a saúde e o bem-estar:

"Pode ajudar a adicionar anos à vida e vida a anos."

Tedros ainda lembrou que cada movimento conta, especialmente em meio às restrições associadas à pandemia de covid-19.

"Devemos todos nos mover todos os dias, com segurança e criatividade".

A afirmação vai ao encontro com o que fez o presidente Jair Bolsonaro em maio deste ano quando editou um novo decreto incluindo academias entre as atividades essenciais durante a pandemia.

Um movimento apócrifo, criminoso e fascista está tentando destruir o Jornal da Cidade Online.

Eles não admitem o debate. Querem castrar a liberdade de expressão e implantar o pensamento único.

Para tanto, tentam zerar nossas receitas, praticando o terrorismo junto a nossos anunciantes.

Ajude o JCO a continuar sobrevivendo com independência. Faça a sua assinatura.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você ainda terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar