Presidente da Fundação Palmares diz que homem morto no Carrefour era um “marginal”

Ler na área do assinante

Nesta quarta-feira, 25, o presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Camargo, afirmou que João Alberto Silveira Freitas, homem que foi morto no supermercado Carrefour em Porto Alegre, era “marginal” e “não representa os pretos honrados”.

Em suas redes sociais, Sérgio Camargo escreveu:

“Marginais não representam os pretos honrados do Brasil, seja Marighella, Madame Satã ou o negro do Carrefour.”

Camargo ainda disse que Marighella era branco e negou que o filme biográfico sobre o guerrilheiro tenha sofrido qualquer censura.

Confira:

Um movimento apócrifo, criminoso e fascista está tentando destruir o Jornal da Cidade Online.

Eles não admitem o debate. Querem castrar a liberdade de expressão e implantar o pensamento único.

Para tanto, tentam zerar nossas receitas, praticando o terrorismo junto a nossos anunciantes.

Ajude o JCO a continuar sobrevivendo com independência. Faça a sua assinatura.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você ainda terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar