Detalhes sórdidos e nojentos vem a público sobre caso Marcius Melhem (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

Reportagem do programa de tevê, “Morning Show”, da Jovem Pan, trouxe novas informações sobre o ex-diretor global Marcius Melhem, acusado de assédios moral e sexual por colegas de trabalho.

Repercutiu, nesta sexta-feira (04), os relatos detalhados do comportamento abusivo de Melhem, revelados em uma extensa matéria da Revista Piauí, que ouviu, nada menos que, 43 pessoas, entre denunciantes, testemunhas e representantes da Rede Globo, emissora para o qual trabalhava o ator e da qual era o responsável pelo setor de humor.

Foi, amplamente, noticiado o episódio de uma festa de comemoração do 100° episódio do “Novo Zorra”, do qual Marcius Melhem, ator, diretor e roteirista do programa de humor e tenta beijar, a também humorista, Dani Calabresa, à força.

Em outro momento, mais tarde, a espera na porta do banheiro, tenta agarrá-la, imobiliza seus braços, força um beijo, lambe seu rosto e expõe o seu pênis.

A atriz teve uma crise de choro no local, procurou conforto nos amigos e contou o que havia ocorrido. Mas, foi surpreendida, no dia seguinte, durante uma gravação pelo chefe que, em tom de humor, dizia:

“Para. Para. Para. Eu não tenho culpa do que aconteceu. Quem mandou você estar muito gostosa??”, enquanto a perseguia em volta de uma mesa do cenário.

A atriz, Maria Clara Gueiros, presenciou a cena e pediu para o chefe deixar a colega em paz.

Além desse evento, houve situações anteriores como a que Melhem constrangeu Dani, no camarim, com uma visita inesperada para “conferir um figurino mais revelador” que seria usado pela atriz.

Após intensas investidas em vão, ele bloqueou Calabresa para outros trabalhos e boicotou um projeto pessoal dela para a emissora carioca, uma versão do “Furo MTV”. Nos bastidores, Melhem ainda se referia à atriz como “maluca” e que ela estaria “manchando o nome da Globo”.

“E ainda ganha um quadro no “Se Joga” e um programa no GNT. O que mais você quer, filha, para calar a boca?”, disse, em tom de deboche.

Dani Calabresa passou a demonstrar sintomas de pânico, quando tinha que ir ao Rio participar das gravações. E, quando retornou o fôlego, no período de férias, resolveu denunciar os acontecimentos para o compliance da Globo.

Na conversa, ela contou das desavenças profissionais, a sensação de estar sendo ludibriada e dos assédios moral e sexual que vinha sofrendo. Seu relato presencial também foi feito à alta direção da casa, em uma reunião pessoal com Carlos Henrique Schroeder, ex-diretor da Globo.

Além de Calabresa, outras 11 pessoas denunciaram o ex-diretor de humor da “poderosa”.

O Grupo Globo desligou Melhem sem fazer referência ao que aconteceu.

O denunciado usou o Twitter para pedir desculpas e, por incrível que pareça, “cobrar responsabilidade”.

“Quero poder pedir desculpas e cobrar responsabilidade. Vou em busca da verdade”, justificou-se, à princípio.

Depois da matéria divulgada pela revista, ele disse que preferia não ser entrevistado, “pois a sentença já estava dada”.

"Qualquer pessoa que tenha convivido comigo sabe que eu jamais cometeria algum ato de violência e que nunca forcei ninguém a nada. Mas parece que o único objetivo está sendo bem-sucedido: a minha condenação na opinião pública", declarou, desmentindo os colegas que o delataram.

Confira:

ATENÇÃO! Agora você tem a opção de assinatura do JCO com boleto!

Um movimento anônimo, criminoso e fascista está tentando destruir o Jornal da Cidade Online.

Eles não admitem o debate. Querem castrar a liberdade de expressão e impor o pensamento único.

Para tanto, tentam zerar nossas receitas, praticando o terrorismo junto a nossos anunciantes.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você ainda terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar