Em forte desabafo, Marcel detona tentativa do STF de "burlar a lei" (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

O deputado federal, Marcel van Hattem (Novo), fez um desabafo na tribuna da Câmara dos Deputados, em Brasília, nesta segunda-feira (07).

Na ocasião, ele discursou dizendo que não havia como ir à casa na data de hoje sem fazer menção ao show de horrores que se formou no último fim de semana, desencadeado por um voto que “afrontou a constituição da república federativa do Brasil, dada pelo relator, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes e acompanhada por outros quatro ministros; dando ao senador Davi Alcolumbre a possibilidade que lhe era, flagrantemente, negada pela constituição de concorrer a sua própria reeleição”.

Além desses cinco votos, quatro deles também deram a Rodrigo Maia a chance de tentar concorrer novamente ao terceiro mandato para a presidência da Câmara dos Deputados.

“Um show de horrores, senhor presidente, porque a afronta feita ao claro texto constitucional. De um lado revelou conchavos políticos feitos por aqueles que precisam julgar, imparcialmente. E, de outro lado, vimos aqueles que se dobram à pressão popular para mudar o encaminhamento dos seus votos. Mas, é triste desconfiar que a pressão popular foi a única capaz de fazer com quem se mantivesse o sagrado texto constitucional”, disse, acrescentando que espera que os seis ministros que mantiveram a integridade da CF não tenham o feito, unicamente, por exigência do povo, mas por respeito à carta magna.

“Estamos em uma terra em que as leis devem ser respeitadas e não descumpridas. Ainda mais pela Suprema Corte”, alfinetou.

Citando as palavras do presidente do STF, Luiz Fux que declarou:

“Não compete ao poder judiciário funcionar como atalho para a obtenção facilitada de providência, perfeitamente, alcançáveis do bojo do processo político democrático. Ainda mais quando para tal mister pretende-se desprestigiar a regra constitucional em vigor”.

Van Hatten lembrou que se quiserem que haja reeleição, que se aprove uma mudança constitucional no próprio plenário da câmara, por 3/5 dos votos em dois turnos e da mesma forma no senado federal.

“E não no meio do tapetão pelo Supremo Tribunal Federal”, ironizou.

Para concluir, ele citou o advogado e político brasileiro, Ulysses Guimarães, que foi presidente da Assembleia Nacional Constituinte e inaugurou a nova ordem democrática, após o Regime Militar:

“Traidor da constituição é traidor da pátria”.

Confira:

ATENÇÃO! Agora você tem a opção de assinatura do JCO com boleto!

Um movimento anônimo, criminoso e fascista está tentando destruir o Jornal da Cidade Online.

Eles não admitem o debate. Querem castrar a liberdade de expressão e impor o pensamento único.

Para tanto, tentam zerar nossas receitas, praticando o terrorismo junto a nossos anunciantes.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você ainda terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação

Notícias relacionadas

Ler comentários e comentar