Roubalheira na FIFA foi generalizada, admitem dirigentes investigados

As transcrições de confissões de culpa do ex-vice-presidente da Fifa, Jeffrey Webb, do executivo de marketing, o argentino Alejandro Burzaco, e do empresário brasileiro José Margulies, que se declararam culpados em 2015 dos crimes de extorsão, fraude eletrônica e lavagem de dinheiro, sugerem que os subornos eram uma prática comum.


Os três disseram lamentar suas ações.  Eles estão confinados em uma casa de detenção nos Estados Unidos e deverão ser condenados por corrupção, em Nova York, em junho.

‘Eu abusei do meu cargo para obter subornos e propinas para meu benefício pessoal’, confessou Jeffrey Webb. ‘Acredito que essas ofertas eram comuns neste negócio’, completou.

‘Eu estava errado’, declarou Burzaco, confessando ter pago subornos e propinas para várias autoridades do futebol, para obter direitos de comercialização de vários torneios. “Eu lucrei com esses pagamentos, direta e indiretamente, ao garantir esses direitos”, explicou.

Segundo o depoimento de Margulies, o pagamento de propinas começou em 1991. 

Lamentável para o futebol mundial.

da Redação

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Esportes