Mario Cesar, o filhote adestrado do André

Até o choro dissimulado é igual ao do padrinho

Na sessão desta terça-feira (19) da Câmara Municipal de Campo Grande, o vereador Mario Cesar da Fonseca, relembrando o fracasso do ‘golpe político’ em Campo Grande, não suportou e esboçou um tímido choro.


Na sequência recebeu apoio de outros parlamentares.

Mais tarde, em seu gabinete, não suportou e, segundo fonte do Jornal da Cidade, teria chorado copiosamente, tendo sido confortado pelos vereadores Paulo Siufi, Airton Saraiva e Carlão.

O choro de Mario Cesar tem razões facilmente explicáveis.

Os prejuízos enormes que teve com a frustração do golpe, vez que a secretaria de finanças de Campo Grande, durante toda a gestão do pastor Olarte, esteve sob o controle do vereador. Ou seja, Mario Cesar ficou com a chave do cofre que, por sinal, ficou a míngua. Foi criminosamente dilapidado, como a Justiça haverá de apurar e punir todos os responsáveis.

Outro motivo das lágrimas de Mario Cesar, consiste no fato de que está prestes a ser denunciado pela Operação Coffee Break, do Gaeco.

Mario Cesar também chorou porque perdeu a cadeira de presidente da Câmara e terá que abandonar sua lucrativa carreira política, vez que para a população campo-grandense o ‘Zé Carioca’ não passa de um arremedo de político, sem qualquer compromisso com a cidade e com a sociedade, que, caso não desista, fatalmente será banido da vida pública pelo voto popular.

É só aguardar.

Lívia Martins

liviamartins.jornaldacidade@gmail.com

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Foco MS