Ministro da Educação afirma que Enem não será adiado

Ler na área do assinante

O Ministro da Educação, Milton Ribeiro, confirmou, nesta terça-feira (12), que a prova para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 não será adiada em virtude da pandemia da Covid-19.

Ribeiro explicou que as medidas de segurança estão mantidas e argumentou que a perda da prova implicaria em um empecilho ao ingresso de novos estudantes em faculdades públicas de todo o Brasil.

"Não vamos adiar o Enem. Primeiro, porque tomamos todos os cuidados de biossegurança possíveis. Queremos dar tranquilidade a você, que vai fazer a prova, assim como aconteceu no domingo, em menor proporção, claro, no exame da Fuvest (exame de vestibular da USP... Neste ano, colocamos muito mais recursos para alugarmos mais salas, para haver o distanciamento preconizado pelas autoridades sanitárias. É bom eu aproveitar essa oportunidade para dizer que um semestre a menos, se perdermos o Enem, vai atrapalhar toda a programação de acesso dos estudantes às escolas federais e públicas”, esclareceu o professor.

A Justiça Federal negou pedido da Defensoria Pública da União (DPU) para novo adiamento da edição de 2020 do Enem. A decisão foi publicada, nesta terça-feira (12), e manteve as provas presenciais para os dias 17 e 24 de janeiro. A versão digital será realizada em 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

A juíza Marisa Cláudia Gonçalves Cucio, da 12ª Vara Cível Federal de SP, em sua decisão, citou que as medidas de segurança proporcionadas aos candidatos do concurso já eram o suficiente para viabilizar a prova.

“As medidas adotadas pelo INEP [Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira] para neutralizar ou minimizar o contágio pelo novo coronavírus são adequadas para viabilizar a realização das provas nas datas previstas”, informou a magistrada.

E completou:

"A situação da pandemia em uma cidade pode ser mais ou menos grave do que em outra e as peculiaridades regionais ou municipais devem ser analisadas caso a caso; cabendo a decisão às autoridades sanitárias locais, que podem e devem interferir na aplicação das provas do ENEM. Se nessas localizações específicas, sua realização implicar em um risco efetivo de aumento de casos da Covid-19", indeferiu a juíza.

A DPU disse que vai recorrer da decisão.

ATENÇÃO! Agora você tem a opção de assinatura do JCO com boleto!

Um movimento anônimo, criminoso e fascista está tentando destruir o Jornal da Cidade Online.

Eles não admitem o debate. Querem castrar a liberdade de expressão e impor o pensamento único.

Para tanto, tentam zerar nossas receitas, praticando o terrorismo junto a nossos anunciantes.

Precisamos da ajuda do nosso público. Para tanto, assine o JCO por apenas R$ 9,99 mensais, e tenha acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido...

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar