Doria prepara o "palanque" e o "ataque"

Ler na área do assinante

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), não perdeu tempo. Tão logo foi autorizado o uso emergencial da CoronaVac no país - "condicionada ao monitoramento das incertezas e reavaliação periódica" -, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e o gestor estadual correu para a televisão; a fim de aplicar o imunizante, neste domingo (17).

O cenário estava todo preparado para a enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, trabalhadora do Hospital Emílio Ribas, levar a primeira “picadinha” do Brasil. Obesa, hipertensa e diabética, ela possui alto risco para complicações da Covid-19 e, assim, aceitou o “desafio”.

O governador de São Paulo, tão “devoto” do fármaco chinês, pousou ao lado da profissional de saúde e deu início à campanha presidencial de 2022:

“A emoção de fazer aquilo que é necessário para salvar vidas. Mônica e outras milhões de profissionais de saúde salvaram vidas. Esse é o exemplo que o Brasil precisa. A Mônica representa isso, o valor da vida”, declarou.

Por ter tido a coragem de ser a primeira vacinada no país, Mônica recebeu até troféu e foi chamada de “heroína”.

Doria, por sua vez, ensaiou um choro, repleto de hipocrisia, sonhando com a faixa presidencial.

É só nisso que ele pensa...

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora, você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário ou com o cartão de crédito.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você!

Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar