Criança de oito anos assalta e esfaqueia mulher no Rio de Janeiro

Crimes com o uso de faca tornaram-se comum

Uma jovem, de apenas 27 anos, foi esfaqueada na noite de ontem (2) no Bairro Tijuca, no Rio de Janeiro. A vítima relatou que estava perto da estação do metrô do Maracanã quando foi cercada por três menores. 

Segundo ela, que por receio de represália não quis se identificar, o suspeito mais novo era uma criança, aparentando em torno de oito anos. 

Foi esta criança que a atingiu na barriga e na mão direita. Ela foi socorrida e levada até o hospital. Os três menores levaram apenas o celular.

A mulher que sofreu o ataque,  acrescentou ainda que luta para não odiar o Rio de Janeiro.

“A gente trabalha para as pessoas simplesmente… Hoje, a vida não vale mais nada, né? Então, é só… Na verdade é só estou sendo mais uma na estatística, né? Eu acho, sinceramente, que é uma cidade que eu amo muito… Assim, eu gosto muito, mas está sendo muito fácil de ser odiada, entendeu? Eu tento não sair daqui porque eu tenho pretensão de morar fora no final do ano, mas… Estou tentando ir embora sem odiar a cidade, mas está complicado", contou a vítima.

Ataques com faca tornaram-se comuns na cidade do Rio de Janeiro. Recentemente um médico foi assassinado enquanto praticava ciclismo na Lagoa Rodrigo de Freitas. 

A Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro analisa o Projeto de Lei que proíbe o porte de armas brancas, como facas. A proposta recebeu sete emendas e será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça.

Pelo texto, que prevê a apreensão dos objetos e multa ao portador, passa a ser crime o porte de armas brancas com mais de 10 centímetros de comprimento. Neste caso, a polícia pode apreender o objeto, mas não deter ou prender o infrator.

A sanção é apenas administrativa, com pagamento de multa de pelo menos R$ 2 mil. A Alerj nem poderia aplicar uma punição penal, já que a Constituição prevê que isto é competência da Câmara Federal dos Deputados.

No caso do porte de armas brancas por menores de idade, o texto prevê que eles sejam levados da rua para se apresentarem a juízes de Varas da Infância e Juventude. Maiores de idade serão encaminhados à delegacia para prestar esclarecimentos.

da Redação

Comentários