Após 3 meses sumido, Jack Ma, o homem mais rico da China, “reaparece” (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

Fundador do Alibaba, Jack Ma, fez sua primeira aparição pública - desde outubro do ano passado -, nesta quarta-feira (20); quando falou com professores por meio de uma vídeo-chamada.

Bastante atuante nas mídias sociais, a ausência do homem mais rico da China fez surgirem muitos boatos em torno do paradeiro dele, após serem descobertas que o governo chinês estava impondo uma série de regras, além de uma espécie de repressão regulatória sobre o extenso império de negócios de Ma.

Antes de “desaparecer”, mesmo com a pandemia do coronavírus, era comum ver o magnata em conferências e outros eventos. Mas, as suspeitas sobre o “afastamento” de Ma vieram à tona, quando ele foi substituído no episódio final de um reality show no qual era jurado.

Com fortuna avaliada em US$ 60,7 bilhões (R$ 325 bi) pela Forbes, a última vez que Jack Ma apareceu em público foi, em 24 de outubro de 2020; quando atacou o sistema regulatório do país em discurso num Fórum de Xangai.

As duras críticas do magnata não foram bem recebidas por autoridades do regime ditatorial de Xi Jinping. Eles entraram em “rota de colisão”, levando à suspensão de uma oferta pública inicial de ações de US$ 37 bilhões, planejada pelo grupo ANT, afiliado do Alibaba.

Nesta quarta-feira, porém, a fundação de caridade do grupo Alibaba confirmou que Ma participou de uma cerimônia para professores da área rural da China, mas não forneceu outros detalhes. O vídeo, datado de 10 de janeiro, tinha apenas 50 segundos de edição.

Analistas do mercado financeiro disseram que o reaparecimento do chinês “deu paz de espírito” aos investidores, depois de muitos rumores. As “boas-novas” fizeram as ações do Alibaba dispararem em alta de 8,5%, o suficiente para apagar as perdas sofridas pelo grupo desde que ele virou alvo de investigação antitruste, lançada em dezembro por autoridades do governo.

Na China, o professor de inglês que se tornou empresário da internet é sinônimo de sucesso. A “celebridade” fundou o Alibaba, que seria uma rival da Amazon. Ma, inclusive, foi o primeiro chinês de destaque a encontrar-se com o presidente americano, Donald Trump.

Embora tenha sofrido sérias consequências por seu posicionamento contrário ao regime político da China, amigos de Ma disseram que ele continua acreditando “firmemente” no que disse e vê o trabalho como uma “missão”.

Confira o vídeo:

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora, você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário ou com o cartão de crédito.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você!

Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar