Baleia ofende Lira nas redes sociais, que manda resposta desmoralizante para o "chefe" do oponente

Ler na área do assinante

Os deputados federais, Arthur Lira (PP-AL) e Baleia Rossi (MDB-SP), “trocaram farpas” pelas redes sociais, às vésperas da disputa pela “cadeira” de presidente da casa, que será em 1° de fevereiro. Os deputados federais foram incisivos na troca de ataques pessoais pela internet e chamaram a atenção para a discussão.

O primeiro a se “manifestar” foi Baleia Rossi, que ofendeu Lira chamando-o de “metamorfose ambulante”. O motivo, segundo ele, foi o discurso de campanha do concorrente que “não corresponde à atuação política” do parlamentar.

O indicado de Maia e boa parte da esquerda para a eleição, disparou censuras a Lira, afirmando que ele havia se omitido de informar que teria pedido urgência na votação do Projeto de Lei Complementar 34/20, que prevê o empréstimo compulsório; para atender às despesas urgentes causadas em virtude da pandemia da Covid-19. . A proposta é de autoria do deputado Wellington Roberto (PL-PB).

“No ano passado, meu adversário pediu urgência no PLP 34/20, que autoriza o confisco de empresas pelo governo. Gravou vídeos defendendo a proposta. Agora, mantém silêncio sobre o assunto. Mudou a velha opinião? Ou é casuísmo? Metamorfose ambulante”, declarou Rossi.

Mas, Baleia Rossi não parou por aí. Em outra publicação, ele sugeriu que Lira está agindo por “casuísmo”.

“Meu adversário é pura metamorfose ambulante. Previsibilidade? Toca Raul! Ele já quis CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira). Depois, disse que não é bem assim. Era contra o auxílio emergencial com rigor fiscal. Agora, é a favor, mas, depende. Olha, mudar a velha opinião é uma virtude. Agir por casuísmo, não”, disparou.

Na vez de Arthur Lira, ele não se intimidou e acusou o concorrente de fazer “jogo sujo” e outras “baixarias”, ao longo da disputa.

“Muito bom o tuíte de Baleia Rossi ditado por seu chefe Rodrigo Maia. Bem-feito, articulado. O que eu tenho a dizer ao chefe dele é que teremos, sim, previsibilidade com uma Câmara dos ‘nós’ e não do eu’”, ironizou Lira.

E completou:

“Outra coisa: não vamos cair no jogo sujo que tentam empurrar, neste final de campanha, com ataques pessoais, como o tuíte de hoje (ontem) e outras baixarias. Vamos, sim, é limpar a Câmara do excesso de personalismo”, disparou.

É público e notório que Arthur Lira é o favorito para “abocanhar” a presidência da Câmara. Para isso, ele conta com o apoio de onze partidos, somando 259 deputados: PSL, PL, PP, PSD, Republicanos, PTB, Pros, PSC, Avante, Patriota e, provavelmente, o Podemos.

Se Lira não tiver nenhuma “desistência” de “última hora”, ele consegue “matar no peito” a disputa, porque, para vencer em primeiro turno, ele precisa de, no mínimo, 257 votos. Ou seja: mais da metade dos 513 deputados.

Baleia Rossi, por sua vez, encontra-se em uma situação difícil: ele não conseguiu unanimidade nem no seu partido, nem no apoio da esquerda. Ele até tem a garantia de onze siglas: PT, MDB, PSDB, PSB, DEM, PDT, Solidariedade, Cidadania, PCdoB, PV e Rede, totalizando 236 parlamentares. Mas, ninguém nega que poderá haver “traições” na votação.

O curioso é que temas como economia, saúde e educação têm sido postos de lado pelos parlamentares, que avaliam os candidatos pela empatia e, nisso, Lira ganha de “golada” do “arrogante” Baleia.

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora, você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário ou com o cartão de crédito.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você!

Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar