Secretário de Educação de Doria cita depressão do filho e diz: “nada mais justifica que não tenhamos a escola de volta” (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

Em entrevista ao programa da Jovem Pan, “Direto ao Ponto”, desta segunda-feira (25), Rossieli Soares, secretário estadual de educação de São Paulo, respondeu às perguntas do jornalista Augusto Nunes e outros convidados e fez revelações sobre o novo lockdown imposto pelo governador João Doria (PSDB) e os reflexos mentais em crianças e adolescentes.

“Desde junho, tenho me dedicado a mostrar para as pessoas que nós temos condições de voltar. Obviamente que, quando a gente fala da volta, não é, exatamente, a volta ao normal, ‘do dia pra noite’. É volta com as questões de segurança, com ambiente controlado, com distanciamento, como nós estamos aqui, por exemplo, dentro desse estúdio. É voltar às aulas, sim, porque isso é insubstituível e voltar com segurança”, afirmou.

E completa:

“É um rodízio. Não vão todos os alunos, ao mesmo tempo”, explicou, informando que quando a Secretaria de Educação fez o planejamento para o retorno às aulas, em 2021, a equipe não esperava que todo o estado ficasse em fase vermelha ou laranja.
“Esperávamos que, uma ou outra região, fosse e voltasse... E todo o estado ficou no vermelho ou no laranja”, lamentou a decisão do governador.
“Hoje, pra mim, nada mais justifica que não tenhamos a escola de volta. Mas, estamos perguntando se devemos ou não voltar às aulas, quando deveríamos perguntar: o que eu faço pra voltar às aulas? Deveria ser uma unanimidade que a escola deveria estar aberta. Bar aberto. Tudo aberto e a escola fechada”, criticou.

Citando caso particular de depressão do filho, com a voz embargada, Rossieli se emocionou, ao testemunhar que o menino está doente, possivelmente, em virtude de medidas muito restritivas impostas durante o ano pandêmico:

“O pai e a mãe que ama seu filho não pode ‘abrir mão’ desse futuro. A gente está vendo tantas famílias se desgastarem tanto... até se desmancharem. Depressão, angústia.. Eu tô sofrendo isso, dentro da minha casa com o meu filho. Isso é muito difícil. Eu não quero que ninguém passe pelo que nós estamos passando. Eu não quero que nenhuma outra criança ou jovem passe pelo que meu filho está passando”, finalizou.

Confira o vídeo:

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário, cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar