Caminhoneiros atuarão contra bloqueios do MST e MTST nas estradas do país

Caminhoneiros de todo o Brasil estão se organizando para impedir que grupos como o MST (Movimento dos Trabalhadores sem Terra) e o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) façam bloqueios nas mais diversas rodovias do Brasil.


O grupo entende que o movimento é político partidário e não visa a melhoria das condições de vida da coletividade. 

Ao contrário, interesses inconfessáveis e meramente eleitoreiros estariam por trás destas ações, em detrimento da sociedade.

Na semana passada, na BR-153, no trecho do km 1292, próximo à cidade de Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital do estado de Goiás, um grupo enorme de caminhoneiros atuou para liberar a rodovia, que havia sido bloqueada por integrantes do MTST, em protesto contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Os manifestantes atearam fogo em pneus, interrompendo o trânsito nos dois sentidos da rodovia, mas o bloqueio foi furado por caminhoneiros cerca de dez minutos depois.

Segundo o coordenador do MTST em Goiás, Rogério da Cunha, o ato representava um repúdio ao eventual governo do vice-presidente da República Michel Temer, caso o impedimento da presidente seja efetivado.

‘A gente é contra esse golpe arquitetado pelo senhor Michel. O projeto dele é cortar os programas sociais, que são fundamentais à classe trabalhadora, às famílias do campo e da cidade. Diante de tudo que a gente tem visto, o golpe já está consolidado, resta a nós lutarmos para que a sociedade brasileira não perca direitos adquiridos’, afirmou o coordenador.

De acordo com ele, após os caminhoneiros atropelarem os pneus e furarem o bloqueio, membros do movimento optaram por suspender o protesto, pois consideraram que seria um risco para as famílias que participavam do ato.

da Redação

                                     https://www.facebook.com/jornaldacidadeonline


Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal da Cidade Online

da Redação

Comentários

Mais em Variedades