Tesouro e BC apontam que Estados e municípios fecharam 2020 com o dobro de dinheiro em caixa

Ler na área do assinante

Segundo dados do Tesouro Nacional e do Banco Central, enquanto o Governo Federal fechou 2020, o ano pandêmico, sem recursos, o mesmo não ocorreu com estados e municípios, que concluíram o período com o dobro de dinheiro em caixa; se comparado a 2019.

De acordo com as duas instituições, o saldo de estados e municípios passou de R$ 42,7 bilhões, em 2019, para R$ 82,8 bilhões, no fim do ano passado, uma alta de 94%. Trata-se da maior disponibilidade de caixa para prefeitos e governadores, nos últimos 19 anos.

O dinheiro no “cofrinho” rendeu graças à suspensão da dívida estadual, ao auxílio emergencial, transferência de recursos da União e outras ações do Governo Bolsonaro; sem as quais seria impossível “salvar” a economia do Brasil. Pacote de ajuda total ficou em, aproximadamente, R$ 125 bilhões.

Mesmo tendo recebido o “socorro” do Governo Federal, alguns governadores e prefeitos vêm adotando ações nefastas e medidas muito severas de distanciamento social, que geram consequências para o país, endividamento da União, desemprego e inflação.

O crescimento em caixa também não impediu que, no início do ano, 18 Secretários da Fazenda se unissem e pedissem ao Congresso Nacional a prorrogação de medidas econômicas para o enfrentamento de uma “possível segunda onda” do coronavírus.

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário, cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar