As absurdas incoerências da Justiça: Suzane von Richthofen liberada para o ‘dia da mães’

Coisas do Brasil, ou da Justiça ‘cega’ brasileira. Suzane von Richthofen ganhou fama como assassina do pai e da mãe.


Um crime que abalou o Brasil.

No dia 31 de outubro de 2002, Suzane abriu a porta da mansão em que residia com sua família, para juntamente com os irmãos Cravinhos matar o pai e a mãe a marretadas.

Um crime bárbaro, totalmente premeditado, com o objetivo sórdido de se apoderar da herança de seus pais.

A polícia logrou descobrir toda a diabólica trama.

Suzane von Richthofen foi condenada a 39 anos de prisão.

Pois bem, nesta quinta-feira, ela deixou a penitenciária feminina de Tremembé (interior de São Paulo) para passar fora da prisão o feriado do Dia das Mães.

A saída temporária foi autorizada pela Justiça, com aval do Ministério Público. Suzane tem de voltar à penitenciária na próxima terça-feira (10), segundo a Secretaria da Administração Penitenciária.

Suzane não tem mãe e não é mãe.

Com quem ele vai comemorar o dia das mães?

A nossa Justiça é realmente cega, capenga e insossa.

Edmundo Zanatta

redacao@jornaldacidadeonline.com.br

                                      https://www.facebook.com/jornaldacidadeonline

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal da Cidade Online

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Polícia