Por inclusão da agenda LGBT, Hospital do Reino Unido 'recomenda' a utilização do termo “leite humano” ao invés de “leite materno”

Ler na área do assinante

O Hospital Universitário de Brighton e Sussex, no Reino Unido, divulgou na semana passada recomendações para que a equipe de obstetrícia adote uma linguagem mais inclusiva para a comunidade trans.

Algumas das sugestões do documento é substituir “leite materno” por “leite humano”, “mãe” por “pessoa que amamenta” e falar “mulher ou pessoa” sempre que possível. A “ala da maternidade” também teve o nome substituído por “serviços perinatais”.

E a lista não para por aí. São 19 páginas para “aconselhar o novo linguístico” às equipes do hospital.

“Como parteiras e profissionais de parto, nos concentramos em melhorar o acesso e os resultados de saúde para grupos marginalizados e desfavorecidos”, disse o sistema hospitalar em comunicado.

E completou:

"Estamos usando conscientemente as palavras ‘mulheres’ e ‘pessoas’ juntas para deixar claro que estamos comprometidos em trabalhar para lidar com as desigualdades de saúde para todos aqueles que usam nossos serviços.”

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário, cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

Fonte: Revista Crescer

da Redação
Ler comentários e comentar