Quem quiser tirar a carteira de habilitação na Argentina terá que "aprender" a linguagem neutra

Ler na área do assinante

O governo argentino, comandado por Alberto Fernández, resolveu complicar a vida de quem precisa tirar a carteira de habilitação no país e misturar mobilidade com identidade de gênero.

Assim, a Agência Nacional de Segurança Viária da Argentina (ANSV) determinou que, para ter acesso ao documento, todos terão que fazer um curso sobre gênero que inclui temas como “Masculinidades: patriarcado e heteronormatividade” e “Feminicídios, Transfeminicídios e Crimes de Ódio”.

E, para piorar, a agência afirma que o objetivo é mesmo usar a influência vital da cultura “no que se refere à incorporação de normas de gênero” para incluir temas que, segundo eles, são obrigatórios para quem deseja obter a licença de habilitação. Claro que tudo em nome da igualdade, “deslegitimando a violência contra as mulheres na condução de veículos na via pública, na segurança veicular e em tudo o que for relacionado à matéria.”

Mas os absurdos não param por aí, não. A Gestão Fernández pretende alterar os sinais de trânsito na Argentina e seguir um “Manual Especial” readaptado para a “linguagem neutra”; onde as letras “o” e “a” serão trocadas por “e”. Dessa forma, “argentinEs” só poderão ser “atropeladEs”.

E, assim, os países têm, aos poucos se rendido à ridícula agenda progressista.

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário, cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

Fonte: R7

da Redação
Ler comentários e comentar