Categórico, Guedes afirma: "estatal boa é a que foi privatizada"

Ler na área do assinante

Ainda sendo questionado sobre a troca no comando da Petrobras – empresa brasileira mista (estatal e privada) e o reajuste no preço dos combustíveis, o ministro da Economia, Paulo Guedes, não poupou palavras e reafirmou o que pensa sobre as estatais do Brasil. Porém, adiantou que a última palavra sobre o assunto é do presidente Jair Bolsonaro.

“Pra mim, estatal boa é a que foi privatizada”, disparou, sem medo das críticas, em entrevista à rádio Jovem Pan.

E completou:

“Mas, o presidente sempre foi claro, disse: ‘Petrobras, BB e Caixa eu não vendo agora’. Ele tem a última palavra”, garantiu.

Guedes usou o momento para explicar que, na visão da população brasileira, a alta no preço dos combustíveis é de responsabilidade do Governo Federal e, por isso, trata-se de um “problema político sério”. Mas, declarou estar aflito mesmo com outras duas estatais.

“Estou preocupado com Eletrobras e Correios”, revelou.

Sobre a troca na direção da Petrobras, o ministro frisou, com tranquilidade, que o presidente Jair Bolsonaro tem o direito de indicar outra pessoa para a presidência da petroleira.

“Do ponto de vista político, é totalmente compreensível”, disse.

Ele lembrou que o presidente não controlou o trabalho de Roberto Castello Branco, na presidência da empresa; tanto que ele voltou a reajustar os preços dos combustíveis, mesmo após Bolsonaro sinalizar que indicaria outro nome para o comando da Petrobras.

Guedes “abriu o jogo” na entrevista e disse que, quando entrou no governo, "brigava toda hora". Mas, que a “responsabilidade enorme” do cargo o tornou mais “humilde, simples e cooperativo”.

“Entrei querendo controlar gastos e gastei muito mais do que jamais imaginei (por conta da pandemia). Você tem que mudar de rota e, assim que possível, voltar pra responsabilidade fiscal.”

Sem “papas na língua”, o ministro garantiu que a Petrobras foi “assaltada à luz do dia durante 10 anos, quase quebrou e tinha governança”.

E finalizou:

“Como ministro, vou fazer o meu trabalho.”

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário, cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

Fonte: Valor

da Redação
Ler comentários e comentar