Procuradora da República punida por ofensa a Bolsonaro, tem liminar negada pelo STF

Ler na área do assinante

A procuradora da República Paula Cristine Bellotti ofendeu reiteradas vezes o presidente da República.

Em maio de 2019, em sua página pessoal no Facebook, a procuradora publicou charge com a imagem de eleitores de Bolsonaro com nádegas em vez de rostos e suásticas estampadas nas camisas e montagem em que o rosto do presidente da República aparece no corpo da apresentadora Xuxa.

Em outra publicação, uma charge mostra Bolsonaro de joelhos, lambendo os sapatos do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, com comentário ofensivo.

E numa terceira postagem, fotografias da manifestação dos estudantes em defesa da educação e de ato a favor do governo federal, também acompanhadas de afirmação ofensiva.

Atitude inadmissível para uma pessoa que ocupa cargo de tamanha relevância.

No processo administrativo disciplinar o CNMP entendeu que houve violação dos deveres funcionais dos membros do Ministério Público, no sentido de tratar a todos com urbanidade e de guardar decoro pessoal.

Assim foi aplicada a sanção de censura.

A procuradora tentou conseguir uma liminar alegando que as postagens foram feitas em conta não utilizada para fins oficiais, mas não obteve êxito.

O ministro Nunes Marques indeferiu o pedido.

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário, cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar