Presidente reclama que obras não avançam por causa da demarcação de imensas terras indígenas

Ler na área do assinante

O presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais, neste sábado (6), para demonstrar seu descontentamento em relação às obras paralisadas do Ministério da Infraestrutura por conta de enormes reservas indígenas, que não podem ser ultrapassadas.

“A BR-158 e a Reserva Indígena Marãiwatsédé, em Mato Grosso. A Justiça Federal proibiu o asfaltamento do trecho de 110 Km da BR-158, que passa pela Reserva. Sendo assim, seremos obrigados a fazer um contorno de 190 Km. O início das obras, por necessidade de outras licenças, somente deverá ocorrer em 2022”, reclamou o dirigente.

E completou:

“Por ocasião das safras, a BR-158 chega a movimentar, por dia, 2.000 bi-trens com 70 toneladas, cada. População: 781 índios. Área (indígena): 165.000 hectares, homologada em 14/12/1998”, desabafou o presidente.

Na quinta-feira (4), o presidente Jair Bolsonaro participava de cerimônia de entrega de uma ferrovia no estado de Goiás, quando criticou o processo de demarcação das áreas indígenas no Brasil realizado em governos anteriores. Ele chegou a dizer que as terras destinadas aos índios equivale ao tamanho da região Sudeste e disse:

“Não tem mais invasão do MST. Vocês há dois anos não acordam mais e têm uma notícia de publicação no Diário Oficial da União de que você perdeu a sua fazenda porque uma portaria foi assinada pelo ministro da Justiça para demarcar mais uma reserva indígena. Nada contra os índios, pelo contrário, mas já são 14% do nosso território demarcado como terra indígena. Equivale à região sudeste, não está de bom tamanho?”, questionou.

Ele também citou o povo Yanomami, informando que a quantidade de terra demarcada é "absurda", sendo "duas vezes o tamanho do Rio de Janeiro para 9.000 índios".

"Temos locais, aqui, que não pode passar uma rodovia, uma ferrovia, porque passa por dentro de uma reserva que tem apenas um índio dentro dela, como em Mato Grosso. Que país é esse? Que irresponsabilidade é essa?", questionou, indignado.

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário, cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar