“Colocar ladrão na rua, nós não aceitamos”, afirma o deputado Major Mecca (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

O deputado estadual por São Paulo, Major Mecca (PSL), e a promotora de Justiça, Erika Figueiredo, soltaram o verbo em entrevista à TV Jornal da Cidade Online, falando sobre a decisão monocrática do Ministro do STF, Luiz Edson Fachin, que anulou as condenações de Lula na Lava Jato. Mecca, que conhece de perto a situação de São Paulo, também criticou as decisões ditatoriais de Doria.

De início, Major Mecca relembrou o estado de emergência decretado em todo o território nacional, pelo Ministério da Saúde, em fevereiro de 2020. De acordo com ele, mesmo diante desse contexto, o governo de São Paulo patrocinou o carnaval, além de uma série de outras ações que foram realizadas por parte do governador João Doria, ignorando o alerta sobre o Coronavírus. Outros exemplos também foram apresentados desde março do ano passado, quando o primeiro infectado já havia sido detectado em território nacional. A polêmica festa na casa do governador do Estado também foi lembrada.

Sobre essa questão, a Dra. Érika Figueiredo comentou sobre políticos que impõem para a população medidas restritivas de controle, enquanto eles próprios não conseguem controlar nem seus filhos e eles mesmos não obedecem às normas que criaram. Além disso, para ela, o estado de calamidade irá se estender por questões de interesses políticos.

“São medidas absolutamente arbitrárias. A gente sabe que eles não acreditam nessas medidas, os políticos, eles não estão vivendo essas medidas em suas vidas cotidianas”.

Diante das arbitrariedades e suspeições, o deputado Major Mecca comentou a dificuldade de acelerar um impeachment de Dória.

“O Estado de São Paulo é altamente aparelhado pelo PSDB. Todos os cantos de São Paulo que a gente vai, em todos os órgãos, instituições, sempre têm alguém do PSDB naquele canto, tratando dos interesses particulares do partido e do governador, desconsiderando os interesses da população”.

Além das situações envolvendo a Covid-19 e má gestão de prefeitos e governadores por todo o Brasil, os entrevistados também falaram sobre a atuação de Ministros do STF e a insegurança política, econômica e jurídica que o Brasil vive no presente momento, considerando pandemia e anulação de sentenças de criminosos políticos no país.

Dra. Erika, que é professora de Direito Penal, relatou que fala com seus alunos que não sabe mais sobre o tema. “Eu vou ter que estudar o novo Direito Penal que foi criado pelo STF. Porque eu tenho até vergonha de ensinar o Direito Penal que eu aprendi” e complementa “nem o Penal, nem o constitucional estão sendo respeitados, né?”.

Major Mecca reiterou o respeito pela instituição STF, mas deixa clara sua insatisfação com a atuação dos ministros da casa.

“Nós temos o direito de nos expressar e dizer que esse tipo de comportamento, de colocar ladrão na rua, nós não aceitamos.”, ponderou durante o programa.

Entre muitos temas ao longo da transmissão, o cenário eleitoral de 2022 foi abordado pelos participantes, principalmente em função do retorno dos direitos políticos de Lula. (Veja o vídeo)

Confira:

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário, cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar