PF na cola de pastor que pediu "massacre de judeus" e "novo holocausto" (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

Nesta sexta-feira (12), a Polícia Federal realizou operação para investigar o pastor Tupirani da Hora Lores, líder da Igreja Pentecostal Geração Jesus Cristo. A acusação é de que o pastor tenha praticado crime de intolerância religiosa contra judeus.

O fato ocorreu em junho de 2020 quando, durante um culto, o pastor teria pedido um "massacre" de judeus.

Na época, o vídeo, que foi postado na internet causou uma comoção em várias organizações judaicas, tanto dentro quanto fora do Brasil.

O "pedido" do pastor chegou a ser divulgado em jornais de Israel e uma entidade social, chamada ‘Sinagoga Sem Fronteiras” fez a denúncia à PF.

“As investigações tiveram início em razão de vídeos publicados na internet, nos quais o suspeito, além de alimentar o ódio e a intolerância racial, clamou por um novo holocausto, gerando repercussão internacional”, relatou a corporação.

Em 2008, Tupirani foi o primeiro condenado por intolerância religiosa no país. Em 2012, ele e alguns de seus discípulos foram presos pelo mesmo motivo.

Desta vez, o pastor responderá pelo crime de "prática, induzimento ou incitação à discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia ou procedência nacional, quando cometido através dos meios de comunicação social ou publicação de qualquer natureza".

A ação está sob o comando da Delegacia de Crimes Cibernéticos, já que os vídeos dos cultos da igreja sempre são postados nas redes sociais.

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário, cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar