Peemedebista, vice-governador mineiro, de olho no cargo de Pimentel

Ler na área do assinante

Enfrentando inúmeros escândalos em sua gestão, com a primeira dama correndo sério risco de ser presa, o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel tem mais um problema.

O ex-deputado federal Toninho Andrade, tido e havido como exímio articulador político, está se mexendo nos bastidores e ávido para ocupar o lugar do petista.

O governador já foi denunciado pelo Ministério Público Federal, sob acusação de corrupção e lavagem de dinheiro e de acordo com a Constituição de Minas Gerais, ele não pode ficar no cargo caso esteja respondendo na Justiça por crimes comuns.

Desta forma, caso o STJ (Superior Tribunal de Justiça) acate a denúncia contra Pimentel, ele terá que ser afastado do cargo.

Todavia, de acordo com a jurisprudência do STF (Supremo Tribunal Federal), o STJ só pode aceitar denúncia com aprovação de maioria de dois terços da Assembleia mineira.

O PMDB tem a maior bancada, mas ainda longe de conseguir o número de votos necessários.

De qualquer forma, o caso deve render muitas articulações nos próximos dias.

O vice, sempre discreto, não dá declarações contra o governador, mas participa de todos os eventos em que peemedebistas criticam publicamente a gestão Pimentel.

da Redação

da Redação
Ler comentários e comentar