O que é essencial? Eis a questão... (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

Eu lembro que certa vez, na escola, a professora perguntou a todos os alunos qual era a profissão mais importante.

Todas as crianças, na faixa de seis a sete anos de idade, começaram a falar, logicamente a profissão de seus pais.

E a professora deixou as crianças se estenderem por bastante tempo naquela discussão.

Em um segundo momento, os alunos começaram a falar de profissões que afetavam diretamente o seu dia-a-dia e a sua rotina.

Foram apontadas profissões como padeiro, zelador, empregada doméstica, lixeiro, professor, policial e médico.

Até que a professora, desvendou a questão:

”Todas as profissões são importantes. Todas dependem umas das outras.”

Eu guardei aquela lição para o resto da minha vida, principalmente, para respeitar qualquer atividade digna de sustento para uma família.

Eu tinha 6 ou 7 anos.

E deve ter sido nas aulas da professora Sarlete Lauck ou Janete Arena, na Escola Santa Catarina, em Hamburgo, no início dos anos 1980.

Sim, eu lembro do nome de quase todos os meus professores ao longo da vida.

Quase quatro décadas depois, surge no Brasil a mesma discussão:

“Quais profissões são importantes ou menos importantes?”

A diferença, é que neste momento estamos em uma pandemia e teremos que usar nosso conhecimento empírico para definir o que é essencial ou não.

No lugar da professora estão os governadores dos Estados.

No lugar dos alunos, estão os profissionais que precisam prover o sustento das famílias.

E o que os Governadores respondem à sociedade?

•Simplesmente, que há profissões ou trabalhos mais importantes do que outros.*

Parece um absurdo, mas não é. E está acontecendo no Brasil em plenos anos 2020, 2021.

O que eu aprendi com 6 ou 7 anos de idade, algo que passou a ser trivial na minha vida, hoje está precisando de uma intervenção do Presidente da República para chamar os Governadores à realidade.

Precisaria o Presidente entrar numa discussão tão pueril e lógica?

E o pior, politizarem a nossa liberdade de trabalhar e de sustentar nossas famílias?

Pois bem, o Presidente da República, está entrando com um Projeto de Lei no Congresso para definir o que é atividade essencial.

E ainda, está entrando com uma ADIN no STF para lembrar aos Governadores que Estado de Sítio, toque de recolher, toque de seja lá o que for, é prerrogativa exclusiva do Presidente da República.

Obrigado pela lição de vida, Professoras Sarlete e Janete!

Estranhos tempos, tempos estranhos!

Veja o vídeo:

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário, cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

Foto de Emílio Kerber Filho

Emílio Kerber Filho

Escritor. Autor do livro "O Mito - Os bastidores do Alvorada".

Ler comentários e comentar