O ministro da Justiça está trabalhando, mas o PT não aceita e pede investigação

Ler na área do assinante

Na última sexta-feira (19), três deputados federais do PT, entre eles a presidente nacional do partido, Gleisi Hoffmann, através de advogados do grupo ‘Prerrogativas’, apresentaram um pedido ao Procurador-Geral da República, Augusto Aras, para que seja avaliada a conduta do ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça.

O pedido cita as ações do ministro diante dos diferentes inquéritos abertos em razão de ofensas ao presidente Jair Bolsonaro e questiona a conduta de Mendonça, "há questões de interesse criminal, tomando-se as medidas cabíveis para coibir abusos autoritários e violações inadmissíveis ao direito fundamental à liberdade de expressão".

A alegação dos deputados responsáveis pelo pedido é de que o Ministério da Justiça se transformou "em um órgão de censura, para cortar a fala de quem se dispõe a apresentar publicamente uma crítica" ao presidente.

Não existe censura nenhuma por parte do governo. O que se quer é que quem comenter agressões, calúnias de difamações responda por seus atos. Nada mais.

Ao que tudo indica, a cúpula petista não deve estar acostumada a ver um ministro da Justiça trabalhando. Com tantos anos no poder, a "petezada" acostumou-se a ver casos como o do ex-ministro da Justiça, Tarso Genro.

Tarso, chefiado por Lula, deu amparo ao terrorista italiano Cesare Battisti.

O PT e suas mediocridades...

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário, cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar