Justiça age rápido e bloqueia grana que filho de Waldir Maranhão recebeu como ‘fantasma’

‘Malandro é malandro, mané é mané’, mas o atual presidente da Câmara Federal, Waldir Maranhão, parece que é malandro e mané.


Quando assumiu o cargo em função do afastamento de Eduardo Cunha, recebeu de inúmeros aliados a orientação para que, em função de suas inúmeras pendengas, mantivesse a discrição. Não deu ouvidos.

Preferiu cair na conversa do governador maranhense Flavio Dino e do então ministro chefe da AGU José Eduardo Cardoso, e deu no que deu. Ficou totalmente desmoralizado e com a vida exposta. Bastou uma pequena devassa para que os seus ‘podres’ começassem a aparecer.

Thiago Augusto, filho do deputado, é médico em São Paulo, porém está lotado como funcionário do Tribunal de Contas do estado do Maranhão e recebe mensalmente o seu salário, desde novembro de 2013. O doutor é 'fantasma'.

Um abuso. Uma indecência.

O juiz Douglas de Melo Martins, da Vara de Interesses Difusos e Coletivos da Comarca de São Luís, determinou, em liminar, a indisponibilidade de bens de Thiago Augusto por conta do tempo em que ele recebeu pelo cargo de confiança no Tribunal de Contas.

Para tanto, foram bloqueados na conta do médico espertalhão R$ 230 mil.

Na mesma decisão, o juiz determinou que seja feito um recadastramento de todos os funcionários do Tribunal de Contas do Estado, para a identificação de outros possíveis funcionários fantasmas.

da Redação

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça