Senador que diz que Dilma está ‘sitiada’ é o mesmo que armou plano contra Moro (veja o vídeo)

O senador Jorge Viana (AC) é contumaz na arte de inventar histórias e bolar planos mirabolantes para prejudicar os seus inimigos.


Ele denunciou nesta quinta-feira (19) que a presidente afastada Dilma Rousseff estaria ‘sitiada’ no Palácio Alvorada.

‘Quem visita a presidente Dilma tem que passar por uma barreira instalada antes do Palácio do Jaburu, com uma grade, um militar fortemente armado. E não importa a função que você ocupe. Eu acabei de fazer uma visita à presidente Dilma. Eu estava com o presidente do Congresso Nacional. E tivemos que nos identificar. Esperar um bom tempo para que telefonemas fossem dados para saber se poderíamos passar para fazer uma simples visita à presidente Dilma. Isso significa que a presidente eleita está sitiada? Que país é esse? Que governo provisório é esse?’, disse Jorge Viana.

O senador acreano é o mesmo que tentou articular um sorrateiro plano com o objetivo de desmoralizar o juiz Sérgio Moro e os procuradores que atuam na Operação Lava Jato.

Parece ser uma prática deste cidadão agir de maneira dissimulada.

Uma ligação captada pela Polícia Federal entre Viana e o advogado e compadre de Lula, Roberto Teixeira, é elucidativa na demonstração da maneira de agir do senador.

Na conversa, ocorrida no dia em que Lula foi conduzido coercitivamente para depor por determinação do juiz Sérgio Moro, ele explica para Teixeira, que seu plano poderia ser a oportunidade do ‘presidente’ por fim ao que ele classificou como ‘perseguição’ e ‘caçada’.

A ideia seria a imediata convocação de uma coletiva, onde Lula, diante da imprensa, estabeleceria uma conversa direta com o ‘seo Moro’ - assim o senador se reporta ao Magistrado - ao vivo.

Nessa coletiva, Lula diria, se dirigindo ao juiz, ‘que não aceita mais que ele persiga a sua família, que Moro está agindo fora da lei, os promotores estão agindo fora da lei, os delegados também, e quem age fora da lei é bandido e que se Moro quiser prendê-lo, que venha, mas não venha prender minha mulher, meus netos, nem meus filhos’.

Assim, argumenta Viana, Lula ‘forçaria a mão’ pra ver se Moro teria coragem de prendê-lo por desacato de autoridade.

Diante disso, acreditava o senador, se criaria uma comoção no país e Lula ainda diria ‘eu estou defendendo a minha honra, o senhor está agindo fora da lei e quem age fora da lei é bandido’.

Na ideia do trêfego senador, na situação apresentada, se Lula fosse preso, se tornaria ‘preso político’ e ai, os petistas fariam ‘o país virar de cabeça pra baixo’.

No entanto, caso Moro não o prendesse, diante dos insultos sofridos, ‘estaria desmoralizado’.

Tudo isto só demonstra que Viana é verdadeiramente um senador sem nenhuma credibilidade.

da Redação

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça