"Tiranete" de BH diz que não vai obedecer ordem do STF

Ler na área do assinante

O Supremo Tribunal Federal (STF) deu tanto poder aos prefeitos e governadores, que agora estes estão se sentindo verdadeiros ‘reizinhos’, intocáveis e poderosos.

Neste sábado (3), em decisão do ministro Nunes Marques, foi autorizada a realização de cultos e missas em todo o país de maneira presencial.

O magistrado fundamentou a sua decisão alegando o seguinte:

“Reconheço que o momento é de cautela, ante o contexto pandêmico que vivenciamos. Ainda assim, e justamente por vivermos em momentos tão difíceis, mais se faz necessário reconhecer a essencialidade da atividade religiosa, responsável, entre outras funções, por conferir acolhimento e conforto espiritual”

E prosseguiu:

“Estamos em plena Semana Santa, a qual, aos cristãos de um modo geral, representa um momento de singular importância para as celebrações de suas crenças — vale ressaltar que, segundo o IBGE, mais de 80% dos brasileiros declararam-se cristãos no Censo de 2010.”

A decisão do ministro atendeu ação movida pela Associação Nacional de Juristas Evangélicos.

Porém, pelo menos um prefeito do país, já garantiu que não vai cumprir a decisão. Alexandre Kalil, de Belo Horizonte.

Ousado, abusado, Kalil ainda declarou:

“O que vale é o decreto do Prefeito. Estão proibidos os cultos e missas presenciais”.

Virou bagunça!

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário, cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

Fonte: O Antagonista

da Redação
Ler comentários e comentar