Com a Polícia Federal de prontidão, Alexandre Kalil arrega e cumpre ordem judicial (veja o vídeo)

Ler na área do assinante

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, literalmente arregou e acabou suspendendo a fiscalização de cultos e missas na capital mineira, neste domingo (4).

Através do procurador do município, Castellar Modesto Guimarães Filho, Kalil informou à Polícia Federal, por um comunicado em que dá "ciência da ordem do prefeito da suspensão de fiscalização nos templos religiosos da cidade até que ocorra manifestação do Plenário do STF".

Na noite de sábado, o prefeito chegou a publicar em suas redes sociais:

“Em Belo Horizonte, acompanhamos o Plenário do Supremo Tribunal federal. O que vale é o decreto do Prefeito. Estão proibidos os cultos e missas presenciais”.

Porém, Kalil voltou atrás, e fez nova publicação:

"Por mais que doa no coração de quem defende a vida, ordem judicial se cumpre. Já entramos com recurso e aguardamos manifestação do Presidente do Supremo Tribunal Federal".

O vereador Nikolas Ferreira publicou um vídeo em que comemora a decisão do STF, mas diz que continuará com a notícia-crime contra o prefeito, já que verificou que pelo menos uma igreja foi notificada, apesar da decisão do STF:

“Kalil recuou porque sabe que ninguém, nem ele, está acima da lei”, diz o vereador, no vídeo.

Confira:

Em tempos de "censura", precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário, cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido... Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

da Redação
Ler comentários e comentar